Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Centro Hospitalar do Médio Tejo levanta suspensão do gozo de férias aos profissionais de saúde

Em novembro, o CHMT suspendeu as férias aos cerca de dois mil profissionais até ao dia 31 de janeiro deste ano.
Lusa 24 de Fevereiro de 2021 às 15:55
Médicos
Médicos FOTO: Tiago Sousa Dias
A suspensão temporária do gozo de férias para os profissionais do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) foi levantada com efeitos a partir de 1 de março, informou esta quarta-feira o conselho de administração.

O levantamento da suspensão do gozo de férias de todos os profissionais do CHMT insere-se no "plano de retoma progressiva de atividade assistencial", refere a instituição num comunicado sobre a medida que entrará em vigor a partir de 01 de março.

No documento, o conselho de administração do CHMT informa que a decisão se justifica pela "evolução positiva do circunstancialismo pandémico, pela redução do número diário de cidadãos infetados com o vírus SARS-CoV-2, bem como pela redução do número de utentes internados, com expressão a nível nacional".  

Em novembro de 2020, o CHMT suspendeu as férias aos cerca de dois mil profissionais até ao dia 31 de janeiro deste ano, medida que foi depois prorrogada até ao final de fevereiros, disse à agência Lusa fonte do gabinete de comunicação.

Em comunicado divulgado na altura, o conselho de administração do CHMT, que abarca as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém, considerou ser "absolutamente indispensável e essencial" proceder à adoção da "medida de caráter excecional e temporária", tomada no âmbito da situação de estado de emergência devido à pandemia de covid-19 e em virtude dos condicionalismos hospitalares e de saúde pública.

Na nota hoje divulgada é ainda referido que, a par com o levantamento da suspensão do gozo de férias, o Centro Hospitalar do Médio Tejo espera "estabilizar a ocupação de doentes covid-19 nas 58 camas, com duas enfermarias ativas na Unidade Hospitalar de Abrantes, acrescidas de seis camas, distribuídas pelo Serviço de Nefrologia e pelo Serviço de Pediatria, ambos instalados na Unidade Hospitalar de Torres Novas".

A instituição manterá ainda uma enfermaria de reserva, com 26 camas preparadas para serem acionadas de imediato se tal se justificar.

Relativamente à capacidade de camas nos Cuidados Intensivos, a partir de 01 de março, será estabilizada em 10 camas para doentes covid-19.

Contudo, é acrescentado na nota, essa capacidade nos Cuidados Itensivos será "variável em função das necessidades do CHMT e de toda a Região de Lisboa e Vale do Tejo".

Às 00:00 estavam internados nas áreas covid-19 do Centro Hospitalar do Médio Tejo 49 doentes, oito dos quais em cuidados intensivos.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população de cerca de 260 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, no distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos do distrito de Portalegre.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.486.116 mortos no mundo, resultantes de mais de 112 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.136 pessoas dos 800.586 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ver comentários