Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
3

Contingentes intermunicipais e praça no novo aeroporto entre propostas para modernização do táxi

Taxistas pedem também que o Governo deve estabelecer incentivos à introdução generalizada da faturação eletrónica
29 de Outubro de 2018 às 17:20
Taxistas em protesto
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Lisboa
Taxistas em protesto
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Lisboa
Taxistas em protesto
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Lisboa
A regulamentação de acesso e prestação de serviço nos aeroportos e terminais portuários e os contingentes intermunicipais são duas das 30 propostas que as associações representativas do táxi defenderam esta segunda-feira como fundamentais para a modernização do setor.

"A questão dos aeroportos e portos marítimos, propostas que já receberam o voto favorável das duas associações em 2016, são propostas fundamentais, além da questão dos contingentes: se devem continuar como estão em termos concelhios ou se há possibilidade de se passar a intermunicipais", disse em declarações à Lusa, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi (FPR), Carlos Ramos.

A FPT e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóvel Ligeiro - Antral tornaram esta segunda-feira públicas 30 propostas para modernizar o serviço público de transporte em táxi.

De acordo com Carlos Ramos, as associações "têm noção dos muitos desafios que se põem no futuro" e este documento, com estas propostas, são a contribuição das duas associações "para que os problemas sejam resolvidos".

"Queremos mostrar à sociedade que tenha a noção que o setor, ao contrário do que se diz, não está em negação permanente. Tem propostas para resolver o problema e que há muitos anos que deviam estar resolvidos", sublinhou.

Segundo Carlos Ramos, as associações respondem agora com este documento a um desafio que vários responsáveis lançavam em diversas ocasiões: "as duas associações tinham de se entender primeiro".

"Cá estamos nós. Agora está na mão do Governo, do executivo e partidos com assento parlamentar agarrar nas propostas, concretizá-las ou discuti-las connosco ou mesmo avançar com outras soluções porque o setor carece dessas medidas", afirmou.

Entre as 30 propostas para a modernização do setor do táxi surge a constituição da praça de táxis do novo aeroporto de Lisboa [cuja localização ainda está por definir], "a preencher pela desafetação do atual contingente do concelho de Lisboa", lê-se no documento.

É pedido ainda que seja alterado o período de amortização do Imposto Sobre Veículos (ISV), de forma a que os atuais cinco anos sejam reduzidos para quatro, fomentando assim a troca e substituição, sem penalização, de viaturas após quatro anos com alteração da percentagem de redução de 70% para 80% daquele imposto.

Os representantes dos táxis pretendem ainda tornar extensivos aos veículos híbridos os apoios previstos para a descarbonização da frota do táxi aos veículos elétricos.

Outra das propostas prende-se com a necessidade que se concluírem os procedimentos de alteração de legislação sobre o transporte de crianças em táxi, "porquanto estão assentes e aprovadas as alterações, mas a verdade é que não estão ainda publicadas nem em vigor".

Os taxistas defendem também que seja incorporado no Instituto da Mobilidade e Transportes (IMT) online a capacidade de emissão/renovação de alvarás e licenças em protocolo com as associações, tal como já acontece com as cartas de condução.

Quanto ao regime de preços, o setor defende que a atualização deve ser sintonizada com as percentagens aplicadas nas atualizações dos demais transportes públicos ou coletivos.

É defendido ainda que a cor padrão dos táxis devia fixar-se legalmente no preto e verde-mar, abandonando o bege-marfim.

Face às particularidades dos consumidores em alguns concelhos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, bem como na região do Algarve, o setor defende que seja estabelecido como equipamento a instalar nas viaturas meios que permitam o pagamento via eletrónica.

Os taxistas pedem também que o Governo deve estabelecer incentivos à introdução generalizada da faturação eletrónica, que inclua automaticamente os elementos identificadores do prestador de serviços e do serviço prestado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)