Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Coronavírus fecha externato em Lisboa, condiciona creche em Alverca e põe escola do Porto em quarentena

Casos positivos do vírus começam a espalhar-se pelo País e a ter impacto em vários estabelecimentos de ensino.
Correio da Manhã 5 de Março de 2020 às 17:43
ESMAE
Escola Básica 2/3 Roque Gameiro
Fundação CEBI
Coronavírus
Coronavírus
ESMAE
Escola Básica 2/3 Roque Gameiro
Fundação CEBI
Coronavírus
Coronavírus
ESMAE
Escola Básica 2/3 Roque Gameiro
Fundação CEBI
Coronavírus
Coronavírus
O externato Grão Vasco, em Benfica, Lisboa, foi encerrado na tarde desta quinta-feira depois de a mãe de um aluno ter sido hospitalizada com coronavírus. O aluno, refere um email do externato enviado aos pais, já não está a frequentar as aulas, "encontrando-se em isolamento em casa, sob vigilância médica estando assintomático".

O CM sabe que o colégio será alvo de uma desinfeção durante esta sexta-feira devendo reabrir na próxima segunda-feira.

Creche em Alverca
Em Alverca, Vila Franca de Xira, outro caso de coronavírus obrigou a Fundação CEBI a tomar medidas excecionais num dos seus estabelecimentos de ensino. Um homem, de 37 anos, pai de uma criança que frequenta a creche do Colégio José Álvaro Vital, daquela fundação, foi diagnosticado com Covid-19 tendo a sua condição clínica obrigado a algumas medidas de prevenção, nomeadamente a "criação de 3 salas de isolamento destinadas aos alunos e uma sala destinadas aos trabalhadores".

Segundo as recomendações da DGS, "serão resguardados nestas salas os alunos e trabalhadores que apresentem sinais e sintomas de febre, tosse, dificuldade respiratória, falta de ar e cansaço fácil". A creche dá conta que a mulher do homem infetado e o filho
foram colocados em quarentena, em casa.

Quarentena no Porto
Na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, no Porto, cerca de 40 alunos e professores estão num isolamento preventivo por terem estado em contacto com um professor infetado com coronavírus. As aulas foram suspensas por tempo indeterminado.

Um professor de 44 anos, que deu aulas de fagote naquele estabelecimento foi o quinto caso de infeção pelo Covid-19 a ser confirmado em Portugal o que levou as quatro dezenas de pessoas desta escola a um período de quarentena apesar de não apresentarem quaisquer sintomas da doença. O professor também deu aulas em Viana do Castelo e na Covilhã.

Suspeitas na Amadora
Na escola Roque Gameiro, na Amadora, uma professora foi diagnosticada positivamente com coronavírus, revelou o diretor do estabelecimento de ensino. Antes do teste positivo, a docente terá sido aconselhada pela linha Saúde 24 a permanecer ao trabalho apesar dos primeiros sintomas.

Numa das declarações do diretor, este revela que a professora contactou a Saúde 24 quando regressou de Milão. "Foi-lhe aconselhada a vir trabalhar quinta e sexta-feira [dias 27 e 28], na segunda-feira de manhã a professora ligou para a escola a questionar o que faria [uma vez que só lecionava à tarde]. Eu assumi o risco de dizer à professora para não vir trabalhar enquanto não tivesse o resultado" dos exames, acrescentou o diretor.
Coronavírus Lisboa Porto Alverca Benfica Covid-19 Amadora Saúde educação questões sociais escolas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)