Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Desesperam por falta de médico

Só no Centro de Saúde dos Olivais há 3409 utentes sem médico de família atribuído.
24 de Março de 2014 às 19:05
Fernanda Janeiro, à esquerda, teme pela saúde da mãe, de 92 anos.
Fernanda Janeiro, à esquerda, teme pela saúde da mãe, de 92 anos. FOTO: Vitor Mota

No Centro de Saúde dos Olivais, em Lisboa, há 3409 utentes sem médico de família. A situação agravou se com a falta de três médicos "por ausência de duração prolongada", esclarece a Associação Regional de Saúde Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). A ARSLTV diz ainda que tem havido uma "elevada saída de profissionais por aposentação".

"Temos de vir cá marcar às oito da manhã, para termos uma consulta às três da tarde e sairmos de cá às sete. Quem trabalha tem de faltar o dia todo", queixa-se Fernanda Janeiro. Esta utente de 53 anos está sem médico de família há três meses. Na mesma situação está a mãe, de 92 anos, acamada após ter tido um AVC, há dois meses. Por não conseguir que a mãe seja observada, Fernanda teme ainda não obter um relatório de incapacidade que lhe dê acesso gratuito aos cuidados de saúde. "A minha mãe tem 600 € de reforma e pagamos tudo", diz. Até ao final do mês, Fernanda tem apenas isenção para a medicação da mãe.

Maria Graciete Duarte, de 70 anos, está também sem médico de família e recorre às consultas de urgência do centro de saúde. "Como não é o médico de família, não veem análises nem passam exames", conta.

sociedade desesperadas por médico família
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)