Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Enfermeiros anunciam mais seis dias de greve

A adesão ao primeiro dia de greve dos enfermeiros situou-se entre os 75% e os 80%.
21 de Setembro de 2018 às 16:55
Greve de enfermeiros
Greve de enfermeiros em Lisboa
Enfermeira
Enfermeiros
Greve de enfermeiros
Greve de enfermeiros em Lisboa
Enfermeira
Enfermeiros
Greve de enfermeiros
Greve de enfermeiros em Lisboa
Enfermeira
Enfermeiros
Os enfermeiros anunciaram esta sexta-feira que a greve de dois dias se iria alargar. Ao todo serão mais seis dias de greve cumpridos pelos profissionais de enfermagem, segundo avança a RTP.

A adesão ao primeiro dia de greve dos enfermeiros situou-se entre os 75% e os 80%, segundo dados da dirigente Guadalupe Simões, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Na quinta-feira, os serviços mais afetados devido à paralisação nacional foram as consultas externas, os blocos de cirurgia nos hospitais e os centros de saúde.

Para os sindicatos, "é totalmente intolerável" a proposta que o Ministério da Saúde apresentou como proposta de carreira para a sua revisão da classe de enfermagem.

Em declarações à Lusa, a dirigente do SEP Guadalupe Simões adiantou que "a principal reivindicação" dos sindicatos prende-se com a apresentação por parte do Governo de uma proposta que esteja de acordo com os compromissos inscritos no âmbito do protocolo negocial.

"O Governo assumiu o compromisso de valorizar a carreira de enfermagem, de valorizar as funções de enfermeiro especialista e de enfermeiros na área da gestão e, vergonhosamente, a proposta que apresentou é ao arrepio dos compromissos assumidos e, portanto, não nos restou alternativa se não manter esta greve e apelar a uma adesão maciça dos enfermeiros", disse Guadalupe Simões.

Numa reunião negocial que teve na terça-feira, a CNESE, comissão que reúne o SEP e o SERAM (Sindicato de Enfermeiros da Região Autónoma da Madeira), teve "a oportunidade de oralmente repudiar a proposta apresentada pelo Governo, apesar de já o ter feito por escrito", contou.

Os sindicatos reivindicam também o pagamento do suplemento remuneratório aos enfermeiros especialistas, a admissão de mais profissionais de saúde, um salário mínimo de 1600 euros mensais, a possibilidade de chegar ao topo da carreira técnica superior, suplementos para funções de especialista, a criação de categoria na área da gestão e a aposentação antes dos 66 anos

A greve foi convocada por todos os sindicatos de enfermeiros (SEP, Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem, Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal, Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros e o SERAM).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)