Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Lasers detetam proteína ligada ao cancro

Baseados num material plástico.
8 de Novembro de 2015 às 12:23
Especialistas detetaram no sangue uma proteína relacionada com a presença de diversos tipos de cancros
Especialistas detetaram no sangue uma proteína relacionada com a presença de diversos tipos de cancros FOTO: Getty Images

A Universidade de Alicante e o centro tecnológico IK-4-Tekniker de Eibar desenvolveram lasers baseados num material plástico, com os quais conseguiram, pela primeira vez no mundo, detetar no sangue uma proteína relacionada com a presença de diversos tipos de cancros.


Esta descoberta de interesse médico, realizada em colaboração com um centro tecnológico do País Basco, foi publicada há umas semanas na revista internacional "Sensors and Actuators B: Chemical", uma das primeiras publicações científicas na área da química analítica, e é fruto de um projeto de investigação financiado pelo Governo.


Os médicos levam tempo "tentando descobrir a maneira de se poder detetar" esta proteína, ligada à presença de "diversos tipos de cancro" e chamada ErbB2, existente em concentrações muito pequenas no sangue, disse à EFE a responsável do projeto na Universidade de Alicante (UA), a catedrática de Física Maria A. Díaz García.


"Quando uma pessoa já tem um tumor cancerígeno, a concentração da referida proteína é maior do que 14 nanogramas por milímetro (ng/ml)", pelo que " o correto é tentar medir concentrações de ErbB2 abaixo do limite dos 15 ng/ml", para assim detetar a doença em estádios iniciais e travar o seu desenvolvimento com um tratamento atempado, explicou.

Universidade de Alicante País Basco lasers proteína cancro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)