Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Pânico e destruição com chuva intensa

Chuva obrigou ao corte de várias estradas.
Ágata Rodrigues, Ana Borges Pinto e Ana Silva Monteiro 5 de Janeiro de 2016 às 08:55
Águeda (foto maior) e Trofa foram dois dos locais onde a intempérie mais estragos provocou
Águeda (foto maior) e Trofa foram dois dos locais onde a intempérie mais estragos provocou FOTO: CMTV
A chuva que se fez sentir durante toda a segunda-feira provocou o caos em várias zonas do País, com incidência no Norte e Centro. Dezenas de casas e lojas ficaram inundadas, registaram-se deslizamentos de terras e foi necessário recorrer ao corte de diversas estradas.

O concelho da Trofa foi um dos locais mais críticos. A EN14 teve de ser cortada e a zona central da cidade ficou totalmente alagada. A EN104 – que faz ligação a Vila do Conde – também foi encerrada, mas um motociclista, de 35 anos, ignorou, em Santiago do Bougado, a ordem e acabou por ser arrastado. A muito custo, conseguiu agarrar-se a um poste e foi hospitalizado com sinais de hipotermia. A moto foi levada pelo rio. Nas proximidades, um condutor foi retirado de um carro preso na água.

Momentos de pânico viveram-se igualmente em Parada de Cunhos, Vila Real. Um deslizamento de terras desalojou um homem de 66 anos, destruiu um armazém agrícola e cortou o trânsito na EN2. "Estava a dormir quando ouvi o barulho da água. A minha salvação foi sair logo de casa", contou Álvaro Pereira.

Amarante, Águeda e Leça do Balio (Matosinhos) foram outros locais que viram os caudais dos rios subir de forma significativa.No caso de Águeda, lojas e casas foram alagadas, causando milhares de euros em prejuízos . Chegou a ser necessário retirar moradores com recurso a barcos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)