Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
9

Sá Leão chama-se... Salazar

Os pais de Sá Leão deram-lhe o nome de Salazar, diz-se, em homenagem ao antigo ditador, mas o agora recruta da ‘1.ª Companhia’ nunca gostou do nome, preferindo ser tratado por ‘Saci’, tributo a uma personagem da série infantil ‘O Sítio do Pica-pau Amarelo’, da Globo, e que passou em Portugal.
19 de Novembro de 2005 às 00:00
Sá Leão não toca em armas e guarda restos de comida no frigorífico
Sá Leão não toca em armas e guarda restos de comida no frigorífico FOTO: Vítor Mota
Salazar transformou-se cedo em ‘Saci’, personagem perneta. Quando entrou na escola do segundo ciclo de Linda-a-Velha, era tratado assim pelos colegas. “O ‘Saci’ era bastante educado, aluno mediano, mas muito interventivo. Era amigo do seu amigo, um bom tipo”, recorda um ex--companheiro.
Zeca, amigo de mais de 20 anos, também guarda as melhores recordações de Sá Leão, considerando-o como “um irmão” e garante: “Só tem qualidades.”
Sá Leão e Zeca começaram por trabalhar juntos numa ‘sex-shop’ do Animatógrafo, no Rossio. “Foi aí que o bichinho dos filmes pornográficos o mordeu e iniciou a actividade de realizador. Ao princípio, eram filmes só para amigos, na brincadeira, mas depois tomou-lhe o gosto e fez vários que ainda hoje são muito procurados em todo o País”, adianta.
Quando foi pai, Sá Leão decidiu mudar de vida e abandonar a pornografia. “Está a criar os filhos, vive sozinho com as crianças e decidiu que aquilo já não era vida para ele e muito menos para os miúdos”, refere.
NO 'ESTALEIRO'
Zeca, que não perde uma ligação ao quartel da TVI, assustou-se quando soube que o amigo fora parar ao hospital com uma entorse no ombro, mas já descansou: “Falei com ele ontem [anteontem] e está tudo bem. Vai ficar uma semana no ‘estaleiro’. Em princípio, a Endemol não pensa substituí-lo. Ficará, pelo menos, mais uma semana, depois logo se vê”, conta. Zeca desconhece a razão que leva o amigo, nomeado pelo comandante Moutinho, a ter aversão a armas – à semelhança de Arlinda –, mas recorda que nunca o viu brincar com nenhuma, “nem quando éramos putos”. Reconhece, no entanto, que é um contracenso “ir para a tropa, ainda por cima como voluntário”, e rejeitar manusear armas, mas avança que Sá Leão aceitou o convite porque “ fora ‘queimado’ por causa da pornografia. A Lili [Caneças] e o Castelo Branco não o quiseram na ‘Quinta’”. Agora tinha a oportunidade de “mostrar quem realmente é” e, além disso, aproveita para “promover o seu disco”.
Sá Leão tem outra particularidade: não desperdiça comida. O recruta guarda os restos no frigorífico. “É uma questão de formação. Para nós, cabo-verdianos, a comida é uma coisa sagrada.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)