Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

TVI comemora 18º aniversário com estreias

A estação líder de audiências, que fez história nos Emmy Internacionais, prepara festa privada para assinalar o dia, com emissões especiais de programas-referência e várias novidades.
18 de Fevereiro de 2011 às 00:00
João Cotrim de Figueiredo, Director-geral da TVI acumula coordenação de direcção de Programas
João Cotrim de Figueiredo, Director-geral da TVI acumula coordenação de direcção de Programas FOTO: d.r.

A TVI atinge a maioridade meses depois de fazer história na televisão portuguesa, após a novela ‘Meu Amor’, de António Barreira, vencer o Emmy Internacional. O canal da Media Capital apaga 18 velas no domingo, dia 20 de Fevereiro, numa festa privada para cerca de 500 pessoas. "Quem está de parabéns são todas aquelas pessoas que nestes 18 anos deram o melhor de si à TVI, tantas vezes com sacrifício da sua vida pessoal e familiar", diz João Cotrim de Figueiredo, director-geral da TVI, o segundo canal privado a nascer em Portugal (SIC arrancou a 6 de Outubro de 1992). O encontro está marcado para terça-feira, dia 22, no Kais Restaurante, em Lisboa, para os jornalistas, apresentadores e actores do canal generalista e da TVI 24, que a 26 de Fevereiro celebra dois anos.

João Cotrim de Figueiredo chegou em Abril de 2010 a uma casa vencedora, mas que nos dois últimos anos passou por momentos internos complicados. Contudo, nunca deixou o primeiro lugar de audiências. "O sucesso e a liderança atingida e mantida, por vezes em situações bem adversas, deve-se a esse vasto conjunto de pessoas, lutadores incansáveis em prol do bem comum", diz Cotrim Figueiredo à Correio TV. Quanto ao futuro, o também coordenador da direcção de Programas prevê o melhor: "Os próximos 18 anos já aqui estão. Com esta equipa, com a capacidade de inovar e surpreender que temos, com o gozo que sentimos em trabalhar juntos, não tenho qualquer dúvida de que não irá faltar nos próximos anos motivos para celebrar".

Líder de audiências desde 2005, e continuadamente desde 2006, a TVI chega a 2011 com a mesma estratégia: apostar na produção nacional (novelas e minisséries) e no entretenimento.

Fátima Lopes, Cristina Ferreira e Manuel Luís Goucha são os grandes rostos do canal e em dia de celebrações são eles que comandam. A festa tem início já amanhã, dia 19, com um especial ‘Você na TV’. A dupla de apresentadores promete uma emissão dedicada ao ano de 1993, recordando programas como ‘Amiga Olga’ e resgatando histórias de anónimos que marcaram o nascimento do canal. Goucha e Cristina voltam ao ecrã no domingo, com a estreia de mais uma edição de ‘Uma Canção para Ti’, agora com um júri renovado. A Luís Jardim e Rita Pereira juntar-se-ão Cifrão e Sofia Ribeiro. "Vamos ter que adaptar o nosso registo", admite Cristina Ferreira, entusiasmada por se estrear neste formato e partilha-lo com o veterano. "A essência está lá. É quase impossível deixarmos a nossa química à porta do estúdio, porque ela é espontânea. É evidente que a nossa excentricidade da manhã não pode estar presente". Há oito anos na TVI, Cristina Ferreira considera que é uma "honra" pertencer a um canal líder.

Mas ‘Uma Canção’ só entra no ar depois de Fátima Lopes dar o mote com um especial de ‘A Tarde É Sua’, cujo enfoque está na homenagem e surpresas às caras da estação e aos telespectadores. A ideia é surpreender convidados e estrelas da TVI. Fátima está entusiasmada pois, com apenas cinco meses de TVI, está a viver momentos únicos. "Este especial vai ter um sabor diferente, porque é o primeiro aniversário em que estou presente. Para a TVI será a maioridade, para mim é a meninice", diz, sorrindo. Mas a felicidade da apresentadora não se esgota aqui: "Estamos a preparar uma emissão muito bonita, que vai permitir às pessoas estarem ainda mais próximas da TVI". Sobretudo porque ‘A Tarde É Sua’ vai para o ar num dia em que habitualmente está fora do ecrã. "É uma grande responsabilidade estar ali no domingo à tarde a fazer companhia a pessoas que normalmente não me podem ver. Terei a oportunidade de mostrar um bocadinho do que é o programa". Para os próximos 18 meses espera: "Continuar a sentir tudo o que estou a sentir agora: uma imensa felicidade e um imenso orgulho de pertencer ao projecto. Tudo o resto vem naturalmente". É que ‘A Tarde É Sua’ é o formato que há muito procurava e o que permitiu que, pela primeira vez em 16 anos de carreira, trabalhasse dentro de uma estação de televisão.

Foi com o entretenimento que o canal de Queluz de Baixo se destacou no mercado televisivo português. Foram muitos os programas que marcaram a estação, mas um dos mais memoráveis foi, sem dúvida, o reality show ‘Big Brother’, em 2000. Um ano depois, as novelas ‘Olhos de Água’ e ‘Anjo Selvagem’ começavam já a delinear a estratégia do canal, liderado, à época, por José Eduardo Moniz (saiu no Verão de 2009). Dez anos depois, a TVI vê a aposta na ficção nacional reconhecida. Uma novela exibida no horário nobre foi premiada com o mais cobiçado prémio internacional para TV (Emmy). Desde 1993, a TVI já exibiu cerca de 40 telenovelas e há oito anos que emite a série ‘Morangos com Açúcar’.

2011 está a começar, mas já está em pré-produção na Plural (produtora do grupo Media Capital) a minissérie escrita por Artur Ribeiro, o ‘Dom’, com um elenco liderado por Pedro Lima, Paula Lobo Antunes, Núria Madruga e Nuno Janeiro. A estreia está marcada para Março. Antes, e em substituição de ‘Mar de Paixão’, estará no ar a novela dos anos 80 ‘Anjo Meu’, de Maria João Mira. Para o lugar de ‘Espírito Indomável’ vai a nova novela de António Barreira, ‘Eclipse’, protagonizada por Sofia Alves.

Apesar das mudanças e de, recentemente, ter perdido o ‘peso pesado’ Júlia Pinheiro para a concorrente SIC, e de ter ficado sem director de Programas, com a demissão de André Cerqueira, a TVI tem conseguido manter-se no primeiro lugar. A guerra das contratações promete continuar a dinamizar o mercado, mas a concorrência não faz temer, é um estímulo. "Não penso nisso no dia-a-dia. Esteja a ganhar ou não. Fiz formatos vencedores durante anos e nunca me acomodei. Percebo estas mudanças de mercado e que a SIC, de repente, tenha uma vitalidade. E quando digo isso, é a capacidade de contratação de pessoas. Quanto mais a concorrência for eficiente melhor para nós. Obriga-nos a renovar diariamente", diz Fátima Lopes. Já Cristina Ferreira admite: "Faço televisão para me divertir, mas sabe muito melhor se souber que ganhamos e que o nosso produto está a chegar às pessoas de uma forma que agrada. Sempre gostei de ganhar. Espero que o futuro seja risonho. Para me sentir, como a TVI, a crescer".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)