Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

CCB volta à grafia antiga

O presidente do conselho de administração do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, justificou ao CM a decisão de reverter a adopção da nova grafia do português dizendo que "não se pode aplicar o Acordo Ortográfico sem violar o próprio Acordo", pois os conversores automáticos instalados nos computadores pela anterior administração "eliminam a hipótese da dupla grafia", que está prevista em muitas palavras.
4 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Presidente do CCB nunca escondeu o que pensa da nova grafia
Presidente do CCB nunca escondeu o que pensa da nova grafia FOTO: Sérgio Lemos

Numa reunião do conselho de administração que teve lugar anteontem, Vasco Graça Moura viu aprovada a proposta de desinstalar os programas informáticos para conversão de texto e de aplicar as regras anteriores ao Acordo Ortográfico em todos os documentos internos e para promoção do CCB. Francisco José Viegas, que nomeou Vasco Graça Moura para o lugar de Mega Ferreira em Janeiro, foi avisado no mesmo dia, mas ontem escusou-se a comentar a polémica decisão, que foi alvo de críticas de António José Seguro no debate parlamentar desta sexta-feira.

Fonte oficial da Secretaria de Estado da Cultura lembrou, no entanto, que "todos os organismos tutelados directa e indirectamente aplicam a resolução do Conselho de Ministros" aprovada em Janeiro de 2011, quando José Sócrates era primeiro-ministro, que impõe a utilização da nova grafia.

Isto não se aplica ao Fundação CCB, que é uma fundação privada de direito público e tem até 2014 para adoptar o Acordo Ortográfico. A "herança do governo de Sócrates, que não tem pés nem cabeça", como Graça Moura descreveu ao CM, não é para já. Até porque este a considera inconstitucional. 

EX-MINISTRO DO PS EM BELÉM

O ex-ministro das Finanças Luís Campos e Cunha, que saiu do Governo em conflito com José Sócrates, é um dos cinco nomes escolhidos pela Secretaria de Estado da Cultura para o conselho directivo da Fundação CCB, presidido por inerência por Vasco Graça Moura.

Além de Campos e Cunha, foram ontem anunciados o italiano Paolo Pinamonti, ex-director do Teatro Nacional de São Carlos, as empresárias Estela Barbot (actual consultora do FMI) e Vera Nobre da Costa, bem como o actor e encenador António Lagarto. Falta conhecer o nome escolhido pelo Ministério das Finanças.

Os anteriores membros do conselho directivo demitiram--se em Janeiro, solidários com Mega Ferreira.

Acordo Ortográfico CCB Vasco Graça Moura
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)