Pedro Moutinho: "Senti necessidade de fazer algo diferente”

Para o novo disco, o fadista gravou alguns temas com piano e chamou Filipe Raposo para a produção.
Por Miguel Azevedo|17.03.19
Fado ao piano e com percussão, novos autores e um produtor da área da jazz e da música clássica. Ao sexto disco de originais, Pedro Moutinho deu meia volta ao seu fado e decidiu inovar.

O álbum ‘Um Fado ao Contrário’, editado nesta sexta-feira, não desvirtua nada, não distorce o que o fadista já fez no passado, mas revela um cantor com outras ambições. "Este é um disco de música portuguesa bem diferente do que eu tinha feito até agora", começa por explicar. "Já tinha cinco discos à volta do fado tradicional e neste álbum senti que queria fazer algo de diferente, a começar pelo Filipe Raposo (produtor), com quem sempre quis trabalhar, porque é um músico genial."

Por outras palavras, ‘Um Fado ao Contrário’ é um disco que "vive de novas composições e de recriações de canções que já tinham sido gravadas", adianta. Especial atenção merecem, por exemplo, os temas ‘Onde Quer que o Mar Me Leve’ e ‘Uma Pena que Me Coube’, nos quais o piano assume, quase, o papel de uma segunda voz.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!