Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Declarações após o Benfica-Belenenses

O Benfica venceu o Belenenses por 3-0, em jogo da 12.ª jornada da I Liga.
6 de Dezembro de 2014 às 20:51
Jorge Jesus dá indicações a Enzo Pérez durante o jogo com o Belenenses, disputado no Estádio Sport Lisboa e Benfica
Jorge Jesus dá indicações a Enzo Pérez durante o jogo com o Belenenses, disputado no Estádio Sport Lisboa e Benfica FOTO: Paulo Calado

Jorge Jesus (treinador do Benfica): "(40 jogos sem perder na Luz) É a nossa vida e temos de continuar a contabilizar jogo a jogo. Se assim é, melhor. Sabíamos que era um jogo difícil. O Belenenses está a fazer um bom campeonato e é uma equipa bem estruturada do ponto de vista defensivo. Tivemos algumas dificuldades em encontrar os caminhos da baliza nos primeiros 45 minutos. Mas, foi o Benfica que esteve mais perto do golo. Na segunda parte, tudo se alterou, pela forma como percebemos como o Belenenses estava a jogar. O primeiro golo facilitou, o segundo confirmou. Fizemos um jogo muito inteligente. Nunca tivemos ansiedade por não termos feito golos na primeira parte. Soubemos trabalhar em cima da pressão. Esta vitória consolidou a nossa posição de primeiro classificado. O próximo jogo, no Dragão, nada teve a ver com o comportamento da equipa. Só as substituições (de Maxi Pereira e Enzo Pérez) estiveram relacionadas com isso. Foi um jogo em que pensámos apenas no adversário de hoje e não no clássico. (Ausência de Miguel Rosa e Deyverson, no Belenenses) Isso é um prolema do treinador do Belenenses. Devia haver uma defesa do próprio jogador, como fazem na Alemanha. Eu não treino o Belenenses. Não sei se são os dois jogadores mais influentes. A vitória do Benfica não tem contestação. Com eles ou sem eles, o Benfica ganhava na mesma. É uma questão que se pode colocar, mas ninguém pode tirar mérito ao Benfica. (Regresso de Lima aos golos) É a vida de ponta-de-lança. Estava há algum tempo sem fazer golos, andava à procura de um golo, porque os avançados moralizam-se muito mais com os golos. Ainda por cima, foi um golo que abriu o marcador, contra uma equipa pela qual já jogou. Foi um golo que o deixou feliz. Tem de continuar a trabalhar em cima das virtudes que tem, porque só assim fará a diferença".

Lito Vidigal (treinador do Belenenses): "Foi um jogo interessante taticamente. Desde o primeiro dia que dissemos logo que não havia comparação entre Benfica e Belenenses, mas iríamos ser sérios e tentar criar alguma surpresa. Conseguimos suster o ataque do Benfica durante a primeira parte, mas depois a qualidade do Benfica veio ao de cima. O Benfica ganhou com justiça. O que está na origem deste resultado é a maior qualidade do Benfica. Nós assumimos isso com humildade, mas, em determinados momentos, poderíamos surpreender e tivemos oportunidades para finalizar. Nunca desistimos do jogo. (Ausência de Miguel Rosa e Deyverson) Estou aqui para falar do jogo e não sobre essas questões. Um mês antes deste jogo já se falava sobre esses jogadores. Sentimos que os jogadores estavam um pouco condicionados e, sendo assim, não fariam parte da convocatória. Espero bem que sim (que estejam disponíveis para o próximo jogo)".

Nélson (jogador do Belenenses): "Sinceramente, foi um mau resultado, que não estava à espera, sobretudo depois da primeira parte que fizemos, em que estivemos muito bem. Na segunda parte, a partir do primeiro golo do Benfica, tudo mudou. A equipa acusou esse golo, e, depois, o penálti foi a nossa sentença de morte. Um penálti que me deixou muitas dúvidas, mas o árbitro marcou e não temos outro remédio senão aceitar. Se esperava que Miguel Rosa e Deyverson jogassem hoje? Sim, esperava, porque treinaram normalmente durante toda a semana. Não sei por que é que não jogaram, mas, sinceramente, pensei que iriam jogar. Quem jogou no lugar deles tentou fazer o melhor possível. Se falei com o Miguel e o Deyverson? Sei que ficaram tristes. Eu, no lugar deles, também ficaria chateado por não poder jogar uma partida destas, aqui neste estádio".

Gonçalo Brandão (jogador do Belenenses): "Fizemos uma boa primeira parte, mas depois do intervalo sofremos um golo de bola parada e um de penálti e tudo se tornou muito complicado, frente a uma equipa como o Benfica, a jogar no seu estádio. Eu estava a voltar para trás, mas, sinceramente, não me pareceu penálti. O fiscal de linha, que estava mais perto, a 10 metros, não deu essa indicação. A ausência do Miguel Rosa e do Deyverson? Todos os jogadores do plantel do Belenenses estão preparados para jogar. Aliás, houve jogadores menos utilizados, como o Fábio Nunes, que fez a sua estreia como titular no campeonato, o Abel Camará e o João Afonso, que estiveram muito bem. É uma questão que nos ultrapassa e a nossa obrigação era estarmos concentrados para o jogo com o Benfica. Durante a semana treinámos como é habitual e os jogadores estavam todos disponíveis. Se o Miguel e o Deyverson não jogaram são questões que não passam por nós. A força do grupo está nos 26 jogadores e não em um ou dois".

Jorge Jesus treinador Benfica Lito Vidigal Belenenses declarações
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)