Pasteleira anorética cozinha pratos que imagina gostar de comer

Jovem de 25 anos confessa não ter percebido que tinha um distúrbio alimentar.
16.05.18
Pasteleira anorética cozinha pratos que imagina gostar de comer
Foto Getty Images

Alessandra Botham, de 25 anos e chef de confeitaria premiada, sofre não só de anorexia como de um distúrbio alimentar, sempre sem nunca se aperceber do que tinha. 

A pasteleira trabalhava cerca de 14 horas diárias e gostava de perder peso e restringir o que comia. Além do pouco alimento que consumia diariamente, Alessandra sofria de uma obsessão em fazer exercício físico.

Quanto às suas criações, nunca provava e cozinhava a imaginar o que gostaria de comer. Com o passar do tempo e a perda de peso acentuada, além do que era normal, a pasteleira começou a perceber que o seu estado de saúde poderia estar a ser comprometido. A jovem chegou a atingir um IMC – Índice de Massa Corporal – de 16, valor que se encontra na "zona de perigo".

Foi nessa altura que Alessandra decidiu pedir ajuda e passou a frequentar uma clínica e nutricionista. Além da ajuda médica, a jovem acredita que a sua paixão pela confeitaria a ajudou a controlar o seu distúrbio – apesar de continuar sem comer o que cozinha.

"Considero-me um paradoxo ambulante porque comecei a cozinhar bem quando comecei a passar fome", afirma a mulher ao jornal Mirror .

"As receitas são baseadas em coisas que eu acho que seria bom comer, mas eu não como nada que eu faço. A confeitaria era uma paixão de infância que crescia e se desenvolvia. Amo alimentar os outros e ter uma família enorme, então, a cada aniversário que passava, eu fazia um grande bolo", acrescenta.

Alessandra nunca deixou de comer na totalidade, mas a privação de vários alimentos e o excesso de exercício físico fez com que a jovem não tivesse a menstruação desde os 20 anos e tivesse variações hormonais. Atualmente, a jovem encontra-se em recuperação.

pub

pub