Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Antigo líder político da ETA detido em França

José Antonio Urruticoechea, ou Josu Ternera, estava desaparecido há 17 anos.
Francisco J. Gonçalves 17 de Maio de 2019 às 08:32
Ternera, de 68 anos, sofre de cancro e foi internado
Antigo chefe político da ETA detido em França
Antigo chefe político da ETA detido em França
Ternera, de 68 anos, sofre de cancro e foi internado
Antigo chefe político da ETA detido em França
Antigo chefe político da ETA detido em França
Ternera, de 68 anos, sofre de cancro e foi internado
Antigo chefe político da ETA detido em França
Antigo chefe político da ETA detido em França
O antigo chefe político do grupo terrorista basco ETA foi esta quinta-feira detido em Sallanches, nos Alpes franceses, numa operação conjunta das polícias francesa e espanhola. José Antonio Urruticoechea, mais conhecido como Josu Ternera, estava em fuga desde 2002.

O líder etarra é acusado de envolvimento em vários crimes, com destaque para o atentado de dezembro de 1987 contra a casa-quartel de Saragoça, que matou 11 pessoas, entre as quais cinco crianças.

Foi também um dos responsáveis pelo roubo dos explosivos que seriam usados, em 1973, no atentado que matou o então primeiro-ministro espanhol Luis Carrero Blanco.

Alvo de um mandado de busca internacional, foi em 2003 incluído na lista dos criminosos mais procurados da Interpol, na altura encabeçada por Osama bin Laden, líder da al-Qaeda.

Logo que foi detido, Ternera pediu para ser visto por um médico e deu entrada num hospital. O líder terrorista sofre de cancro há vários anos e foi graças às consultas que realizava, sob um nome falso, que acabou por ser encontrado.

Os investigadores seguiam um antigo colaborador de Ternera e ficaram alerta quando essa pessoa, não identificada, contactou outra, referindo uma ida ao hospital. Sem saber ao certo de quem se tratava, os investigadores foram ao local e encontraram o chefe político da ETA.

Ternera tinha sido visto pela última vez em 30 de outubro de 2002, quando participou numa reunião com jornalistas, nas instalações da ONU em Genebra.

Chamado a depor em Espanha, em novembro desse mesmo ano, sobre o atentado de Saragoça, não compareceu e foi emitido em seu nome um mandado de busca internacional.

Enfrenta, atualmente, uma pena de cadeia de oito anos, à qual foi condenado em 2017 pelo papel que desempenhou no aparelho político do grupo terrorista basco.

SAIBA MAIS 
1989
Josu Ternera é detido em Bayona, França, e condenado a dez anos de cadeia pela Justiça francesa. Entregue a Espanha em 1996, seria libertado em janeiro de 2000, por ordem do Supremo Tribunal, por considerar que cumpria pena pelos mesmos delitos por que tinha sido condenado em França.

Anunciou fim da ETA
Ternera esteve marginalizado na ETA mas quando recuperou a liderança anunciou, em 2011, o fim da luta armada do grupo terrorista. Em 2018 foi também ele a anunciar a dissolução da ETA.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)