Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Bolsonaro chama "irmão" a Netanyahu ao chegar a Israel

Presidente do Brasil promete reaproximar os dois países.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 31 de Março de 2019 às 18:09
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel
Bolsonaro chama 'irmão' a Netanyahu ao chegar a Israel

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, chegou este domingo a Israel para uma visita oficial de quatro dias em clima de muita harmonia com o primeiro-ministro local, Benjamin Netanyahu. Chamando Netanyahu de "irmão", Bolsonaro prometeu iniciar uma era de forte aproximação entre os dois países, retornando ao que ele classificou como a normalidade das relações entre Brasil e Israel.

"Felizmente retornamos o tratamento equilibrado às questões do Médio Oriente. O meu governo está firmemente decidido a fortalecer a parceria entre o Brasil e Israel. A amizade entre os nossos povos é histórica", declarou o brasileiro na cerimónia de boas vindas ao chegar a Telavive, acrescentando, numa alusão aos últimos governos do Brasil, fortemente críticos à expansão israelita nos vizinhos territórios árabes: "Tivemos um momento de afastamento, mas Deus sabe o que faz e voltamos."

Em Israel, Jair Bolsonaro, que foi acompanhado de vários ministros, deputados e senadores, entre eles Flávio Bolsonaro, um dos seus filhos, vai assinar acordos nas áreas de defesa, saúde, tecnologia e comércio, além de outros.

Numa clara inflexão da política externa seguida nas últimas décadas pelo Brasil, Bolsonaro quer alinhar-se o mais possível aos Estados Unidos de Donald Trump e a Israel de Benjamin Netanyahu, que está em plena campanha de reeleição, e prometeu estender essa aliança a todos os sectores possíveis.

"Eu e o meu amigo Netanyahu pretendemos aproximar os nossos povos, os nossos militares, os nossos estudantes, os nossos cientistas, nossos empresários e nossos turistas"-Declarou Bolsonaro, agradecendo a presença do "irmão" Netanyahu na cerimónia de posse dele, em Brasília, em 1 de Janeiro passado, a primeira visita de um primeiro-ministro de Israel ao Brasil.

Além de assinar acordos, Bolsonaro vai assistir a uma apresentação de forças especiais anti-terroristas de Israel, terá encontros reservados com Netanyahu e os dois presidirão a um evento que reunirá empresários dos dois países.

O Presidente, que só regressa ao Brasil na quarta, ainda visitará o Memorial do Holocausto, o Muro das Lamentações, e uma comunidade brasileira radicada em Israel, entre outros compromissos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)