Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Cameron diz ter sido "futuro, outrora"

Presente na última sessão no parlamento como PM do Reino Unido.
13 de Julho de 2016 às 17:02
David Cameron disse ainda que também sentirá falta de Larry, o gato de Downing Street
David Cameron disse ainda que também sentirá falta de Larry, o gato de Downing Street FOTO: Reuters
Na última sessão no parlamento como primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron dirigiu a si próprio a frase famosa que disse um dia ao ex-chefe do governo trabalhista Tony Blair: "Eu fui o futuro, outrora".

Famosa no léxico político do Reino Unido, a frase foi proferida por Cameron na sua primeira sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro, há 11 anos. Recentemente eleito líder da oposição conservadora, Cameron troçou de Blair: "Eu quero falar do futuro. Ele foi o futuro, outrora".

Seis anos depois de se tornar o primeiro-ministro mais novo do Reino Unido em 200 anos, David Cameron deixa a chefia do governo com a sombra da iminente saída do país da União Europeia, um fim abrupto da sua carreira política.

O ambiente de convívio no parlamento contrastou com as divisões no país expostas pelo referendo ao 'Brexit' no qual Cameron apostou a sua reputação.

"Pode-se conseguir muitas coisas na política", declarou Cameron, de 49 anos, numa Câmara de Comuns cheia.

"No final - o serviço público, o interesse nacional -- trata-se disso (...) Nada é realmente impossível se nos dedicarmos. Afinal, como disse uma vez, eu fui o futuro, outrora", declarou, escutado pela mulher Samantha e pelos filhos que assistiam na galeria.

A resposta dos deputados da oposição não foi calorosa. Angus Robertson, dos nacionalistas escoceses, disse: "o legado do primeiro-ministro será sem dúvida ter levado o país à beira de sair da União Europeia, por isso o seu mandato não será aplaudido neste lado".

Sentado ao lado da sua sucessora, Theresa May, Cameron prometeu continuar a assistir à semanal "troca de galhardetes" e disse que ia sentir falta das "farpas da oposição".

David Cameron disse ainda que também sentirá falta de Larry, o gato de Downing Street, que não será remodelado e ficará na residência oficial do primeiro-ministro.

Mostrou até uma fotografia com o "bichano" ao colo para, explicou, acabar com o rumor de que não gostava de Larry.

Saiu sob os aplausos dos colegas de bancada, alguns dos quais chegaram a dar-lhe palmadas nas costas ou abraços.
primeiro-ministro do Reino Unido David Cameron Reino Unido política Theresa May
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)