Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Donald Trump diz oito mentiras por dia

Presidente dos EUA já proferiu 4229 afirmações falsas desde que chegou à Casa Branca.
Débora Carvalho 5 de Agosto de 2018 às 01:30
Donald Trump
Donald Trump e Kim Jong-un
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump e Kim Jong-un
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump e Kim Jong-un
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump já disse 4229 mentiras ou inverdades desde que chegou à presidência em janeiro de 2017, das quais mil foram ditas nos últimos dois meses, segundo revelou este sábado o 'The Washington Post'. Feitas as contas, o presidente americano faz em média 7,6 afirmações falsas por dia.

Desde que Trump chegou à Casa Branca que o jornal acompanha e regista todas as mentiras e, de acordo com a contagem, o presidente norte-americano mente quatro vezes mais do que no início da presidência. Nos primeiros 100 dias de mandato a média era de 4,9 por dia. Economia, imigração e a investigação à interferência russa nas presidências de 2016 são alguns dos assuntos sobre os quais Donald Trump nem sempre disse a verdade.

O dia de ontem ficou ainda marcado por revelações em torno de um dos assuntos mais sensíveis para o presidente dos Estados Unidos. A Coreia do Norte continua a desenvolver programas nucleares e de mísseis, o que é uma violação das sanções internacionais impostas ao país e ao acordo assinado com os Estados Unidos. A denúncia consta de um relatório confidencial de 62 páginas das Nações Unidas revelado ontem pela imprensa internacional.

O relatório da ONU afirma que Pyongyang está a cooperar militarmente com a Síria e está a tentar vender armas para os rebeldes Huthi e Iémen, apoiados pelo Irão. Apesar de Donald Trump se mostrar confiante com a desnuclearização de Pyongyang, o departamento de estado dos EUA ameaça impor novas sanções.

Em Singapura, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, pediu à comunidade internacional a "manutenção da pressão diplomática e económica" contra o regime de Kim Jong-un. Em resposta, o país asiático criticou Washington pela "impaciência" face à lentidão dos processos diplomáticos.

PORMENORES
Encontro histórico
Donald Trump e Kim Jong-un reuniram-se, num encontro inédito, em junho, em Singapura, e acordaram trabalhar no sentido da desnuclearização da península coreana, mas sem chegarem a qualquer compromisso em torno de medidas concretas.

Teste nuclear
Em 2017, o Mundo acompanhou um aumento da tensão sem precedentes entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, que foi marcada por lançamentos de mísseis e um teste nuclear pelo regime de Pyongyang. Em retaliação, foram impostas sanções internacionais contra o país.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)