Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Manifestantes já se concentram em Brasília para pedir a Bolsonaro que dê um golpe

Nas horas que antecedem as manifestações, já é gritante o clima de apreensão por todo o Brasil.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 7 de Setembro de 2021 às 00:30
 Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil FOTO: Reuters

Um dia antes dos atos convocados pelo presidente Jair Bolsonaro para esta terça-feira contra o Supremo Tribunal Federal (STF), seguidores dele já estão desde a manhã desta segunda-feira concentrados em vários pontos de Brasília, a capital federal do Brasil. Quase todos sem máscara, esses bolsonaristas empunham faixas e cartazes antidemocráticos, mesmo teor das mensagens que convocaram os atos marcados por Bolsonaro para amanhã em várias cidades do país, os dois principais em Brasília, onde ele discursará pela manhã, e em São Paulo, onde estará à tarde.

Por enquanto em grupos pequenos, de apenas algumas dezenas de pessoas, espalhados pela Praça dos Três Poderes, onde se localizam o palácio presidencial, o Congresso e o Supremo Tribunal, e pela Esplanada dos Ministérios, onde ficam os demais órgãos do poder, os manifestantes não escondem o que desejam. Nas faixas e cartazes, eles pedem a Bolsonaro que dê um golpe militar, que feche o STF e o Congresso, e que passe a governar da forma que sempre quis, sem os limites determinados por esses dois órgãos em função da Constituição.

Perto das 14 e 30 locais, 18 e 30 em Lisboa, Bolsonaro, que esta segunda-feira, véspera do feriado de 7 de Setembro, Dia da Independência, não tem agenda oficial, chegou de surpresa e foi ao encontro dos manifestantes. Também sem máscara, o chefe de Estado tirou fotos e confraternizou com os manifestantes, não obstante estes defenderem atos proibidos pela Constituição, como uma intervenção militar.

Por enquanto longe das câmaras de televisão mas a poucos minutos dali, outros grupos de seguidores de Bolsonaro também já estavam concentrados nos acessos a Brasília. São manifestantes que chegaram de autocarro, em motorhomes ou em camiões e tentam passar desapercebidos até chegar o momento de invadirem o centro do poder brasileiro.

Bolsonaro convocou para esta terça-feira atos em seu apoio mas, mais do que isso, contra o Supremo Tribunal e o Congresso, que, na opinião dele e dos seguidores fanáticos, têm limitado as suas ações impedindo-o de promover as mudanças radicais que preconiza para o Brasil ultraconservador com que sempre sonhou. Nas horas que antecedem as manifestações, já é gritante o clima de apreensão por todo o Brasil, havendo temores de que o presidente possa realmente desencadear um golpe de Estado para ganhar poderes absolutos ou, pelo menos, que tente alguma outra manobra que provoque uma rutura democrática e mergulhe o Brasil para o caos social.

Ver comentários