Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Ministro Sérgio Moro desmente Jair Bolsonaro

Presidente brasileiro disse que manteria a promessa feita a Moro de que o indicaria à primeira vaga de juiz que surgisse no Supremo Tribunal Federal.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 13 de Maio de 2019 às 22:18
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro

O ex-juíz da operação anti-corrupção Lava Jato, Sérgio Moro, que deixou a magistratura para se tornar ministro da Justiça e da Segurança Pública, desmentiu esta segunda-feira a afirmação do presidente Jair Bolsonaro de que teria feito exigências para entrar para o governo.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Bolsonaro disse que manteria a promessa feita a Moro de que o indicaria à primeira vaga de juiz que surgisse no Supremo Tribunal Federal (STF), como combinou com o antigo magistrado, mas este veio a público desmentir o presidente e garantir que não fez exigência alguma para aceitar entrar para o governo.

"Não estabeleci nenhuma condição para aceitar o convite (para ser ministro). O que houve foi uma convergência de ideias, de propostas com o presidente. Quero trabalhar contra a corrupção, contra o crime organizado, a criminalidade violenta", afirmou Moro durante palestra nesta segunda-feira em Curitiba, a cidade onde comandava a Lava Jato, sem citar directamente Jair Bolsonaro.

Na entrevista à Rádio Bandeirantes, na qual anunciou precocemente que iria indicar Moro para juíz do Supremo Tribunal assim que surgisse uma vaga, o que só deve acontecer em novembro de 2020, Bolsonaro deu a entender que tinha negociado em pelo menos dois pontos com o então juiz para ele aceitar deixar a magistratura e aceitar ser ministro. Um deles seria comandar directamente o COAF, o órgão, antes ligado ao Fisco, que investiga crimes financeiros, e o outro seria ser indicado ao STF, ponto mais alto da carreira de qualquer juíz.

"Fiz um compromisso com ele, porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: a primeira vaga que houver lá (no Supremo Tribunal Federal) está à sua disposição. Eu vou honrar esse compromisso", declarou Bolsonaro durante a entrevista quando lhe foi pedido para comentar declarações recentes de Sérgio Moro de que ir para o STF seria como ganhar na lotaria.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)