Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Rivera aceita viabilizar governo de Sánchez

Centrista impõe três condições para permitir a tomada de posse de um governo socialista minoritário.
Ricardo Ramos 17 de Setembro de 2019 às 08:35
Albert Rivera
Albert Rivera, líder do partido Ciudadanos
Sánchez
Pedro Sánchez
Albert Rivera
Albert Rivera, líder do partido Ciudadanos
Sánchez
Pedro Sánchez
Albert Rivera
Albert Rivera, líder do partido Ciudadanos
Sánchez
Pedro Sánchez
O líder do Cidadãos, Albert Rivera, propôs esta segunda-feira ao PP a abstenção conjunta dos dois partidos para permitir a investidura do primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez e impedir novas eleições, mas impôs três condições que o governo terá de cumprir para concretizar o seu apoio.

Rivera, que nos últimos meses rejeitou sempre apoiar a investidura de Sánchez, inverteu a sua posição a menos de 24 horas de o rei Felipe VI concluir a segunda ronda de consultas para a formação do próximo governo.

O líder do Cidadãos justifica o recuo com o fracasso das negociações entre o PSOE e o Unidas Podemos e a necessidade de assegurar uma "solução de Estado" para evitar o regresso às urnas.

Coloca, no entanto, três condições para apoiar o primeiro-ministro. Em primeiro lugar, os socialistas devem romper o acordo de governo com a esquerda e os nacionalistas em Navarra, País Basco, e formar num novo executivo autonómico com o Cidadãos e o PP.

Segundo, devem comprometer-se a criar um grupo de trabalho conjunto para planear a reintrodução do Artigo 155 na Catalunha se o governo independentista não acatar a sentença dos separatistas em julgamento por desobediência, que também não poderiam ser indultados.

Terceiro, Sánchez deve comprometer-se a não aumentar os impostos às famílias e aos trabalhadores independentes.

Pedro Sánchez apressou-se a responder que o seu governo "já cumpre todas as condições", pelo que "não existe qualquer obstáculo" que impeça os dois partidos de apoiarem a investidura.

Pormenores
Investidura
Sem o apoio do Unidas Podemos, Pedro Sánchez precisa que tanto o Cidadãos como o Partido Popular se abstenham para conseguir ser investido no parlamento.

Consultas
O rei Felipe VI termina esta terça-feira a segunda ronda de consultas com os partidos para avaliar se há condições para a formação de um governo. Se a conclusão for negativa, haverá novas eleições.

PP em silêncio
O Partido Popular não reagiu imediatamente à proposta do líder do Cidadãos. Pablo Casado, líder do PP, limitou-se a constatar que Pedro Sánchez "nunca quis" o apoio dos populares.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)