Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Separatistas catalães podem perder a maioria

Nova sondagem aponta empate entre partidos independentistas e constitucionalistas.
Ricardo Ramos 27 de Novembro de 2017 às 09:05
Marta Rovira lidera a campanha da ERC, que surge em primeiro lugar nas intenções de voto
Inés Arrimadas é a candidata do Cidadãos
Carles Puigdemont
Puigdemont
Marta Rovira lidera a campanha da ERC, que surge em primeiro lugar nas intenções de voto
Inés Arrimadas é a candidata do Cidadãos
Carles Puigdemont
Puigdemont
Marta Rovira lidera a campanha da ERC, que surge em primeiro lugar nas intenções de voto
Inés Arrimadas é a candidata do Cidadãos
Carles Puigdemont
Puigdemont
A menos de um mês das eleições na Catalunha, os partidos a favor e contra a independência estão empatados nas intenções de voto e os separatistas podem mesmo perder a maioria absoluta no Parlamento Autonómico, segundo indica uma nova sondagem.

De acordo com o estudo do Instituto Metroscopia publicado pelo ‘El País’, os partidos separatistas - ERC, Juntos Pela Catalunha e CUP - deverão obter, no seu conjunto, 46% dos votos, precisamente a mesma percentagem obtida pelos três partidos - Cidadãos, PSC e PP - que são frontalmente contra a independência da região.

No meio dos dois blocos e com possível papel de ‘fiel da balança’ está a Catalunya en Comú-Podem, a filial catalã do Podemos, com 6,7%. Se as eleições fossem hoje, os separatistas elegeriam 67 deputados, falhando por um a maioria absoluta.

Por partidos, surge na frente com 26,5% a ERC, cujo cabeça de lista, Oriol Junqueras, vice-presidente do governo regional destituído, está detido preventivamente por sedição e cuja campanha está a ser liderada pela ‘número dois’, Marta Rovira. Logo atrás vem o Cidadãos, de Inés Arrimadas, com 25,3%, seguida pelos socialistas do PSC com 14,9% das intenções de voto.

Seguem-se Juntos Pela Catalunha (13,6%), Catalunya en Comú (6,7%), CUP (5,9%) e PP (5,8%).

"Catalães devem decidir se querem a UE" 
O ex-presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, refugiado em Bruxelas e alvo de um mandado europeu de detenção, disse ontem que os catalães "deveriam votar se querem continuar a fazer parte" de uma UE "insensível ao atropelo dos direitos humanos e democráticos de uma parte do seu território".

O cabeça de lista da formação Juntos Pela Catalunha classificou ainda a UE como "um clube de países decadentes e obsoletos".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)