Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Sobrevivente de Chernobyl revive momentos de terror através da minissérie da HBO

Série relata um dos maiores desastres nucleares da história.
12 de Junho de 2019 às 16:52
Conheça a misteriosa central nuclear de Chernobyl
Chernobyl, nova série da HBO
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
Uma pista de carros de choque abandonada em Chernobyl. (Sergey Dolzhenko/EPA)
CHERNOBYL, TURISMO NUCLEAR
Conheça a misteriosa central nuclear de Chernobyl
Chernobyl, nova série da HBO
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
Uma pista de carros de choque abandonada em Chernobyl. (Sergey Dolzhenko/EPA)
CHERNOBYL, TURISMO NUCLEAR
Conheça a misteriosa central nuclear de Chernobyl
Chernobyl, nova série da HBO
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
A cidade esquecida de Chernobyl
Uma pista de carros de choque abandonada em Chernobyl. (Sergey Dolzhenko/EPA)
CHERNOBYL, TURISMO NUCLEAR

O desastre em Chernobyl em 1986 foi um dos acidentes nucleares mais mortíferos da história. A explosão do reator 4 da central nuclear de Chernobyl, na Ucrânia sob domínio soviético, voltou a estar presente através de uma minissérie televisiva - "Chernobyl" - de cinco episódios na HBO.

Chernobyl recebeu a maior pontuação de sempre de um programa de TV no site de filmes IMDB. Russos e ucranianos assistiram pela Internet, e teve uma classificação favorável no site cinematográfico russo Kinopoisk.

Um ex-funcionário da central nuclear de Chernobyl, Oleksiy Breus, que trabalhava na sala de controlo do reator 4 testemunhou a manhã trágica de 26 de abril de 1986. 

Após ter revivido os momentos assustadores daquela manhã através da série da HBO, Breus relata agora a sua versão dos factos numa entrevista dada à televisão britânica BBC.

Do realismo à ficção
Segundo Breus, alguns dos eventos que o ex-operador testemunhou naquela manhã foram retratados na série de forma realista, mas outros o homem descreve como ficção.

"A catástrofe de Chernobyl é representada de uma forma muito poderosa, como uma catástrofe global que absorveu um grande número de pessoas em que as emoções demonstradas estão bem representadas. No entanto, os aspetos tecnológicos têm algumas discrepâncias que podem não ser exatamente mentira, mas apenas ficção", acrescenta.

Personagens principais distorcidas
Breus critica a forma como a série retrata de forma negativa o diretor de Chernobyl, Viktor Bryukhanov, o engenheiro-chefe, Nikolai Fomin, e o engenheiro-chefe adjunto, Anatoly Dyatlov.

"As personagens são distorcidas e deturpadas, como se fossem vilões. Eles não eram nada assim. Isto não é ficção, apenas é uma mentira descarada", revela.

Os efeitos da radiação no corpo humano representados na série
Breus diz que os criadores da série mostraram bem os efeitos da radiação no corpo humano.

Nas horas após a explosão, a testemunha falou com Oleksandr Akimov, o líder do turno no reator número 4, e o operador Leonid Toptunov, ambos com destaque na série.

Dentro de duas semanas após o sucedido, tanto Akimov quanto Toptunov morreram com síndrome de radiação aguda (ARS).

"Eu vi outros colegas que trabalharam naquela noite. A pele tinha uma cor vermelha brilhante. Mais tarde, morreram no hospital em Moscovo", afirma.

O lado menos negro da "Ponte da Morte"
Na série, os moradores de Pripyat - atualmente uma cidade fantasma - correm para uma ponte ferroviária para ter uma visão melhor do grande incêndio, sem saber que se estava a espôr a grandes quantidades de radiação. Nas imagens é possível observar as crianças a brincar com o pó radioativo, que cai do céu.

Este episódio ficou conhecido como a "Ponte da Morte" após relatos de que aqueles que ali estavam alegadamente morreram de doença da radiação.

No entanto, Breus acredita que a maioria dos moradores de Pripyat estava a dormir durante a explosão, e que só ficou a saber do acidente quando chegou ao trabalho na manhã seguinte.

"Eu nunca ouvi que havia uma multidão de pessoas que foram assistir ao fogo à noite", acrescenta.
 
Segundo a Organização das Nações Unidas, o desastre afetou mais de 3,5 milhões de pessoas. 

Chernobyl Ucrânia Oleksiy Breus questões sociais acidentes e desastres HBO / Sky
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)