Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Hermínio Loureiro julgado por 77 crimes no âmbito da Operação Ajuste Secreto

Ex-autarca pronunciado por 77 dos 142 crimes de que estava acusado pelo Ministério Público.
Salomé Pinto 29 de Maio de 2021 às 09:36
Hermínio Loureiro demitiu-se da vice-presidência da Federação Portuguesa de Futebol
Hermínio Loureiro demitiu-se da vice-presidência da Federação Portuguesa de Futebol FOTO: Luís Manuel Neves
O ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis e antigo vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Hermínio Loureiro, vai ser julgado, no âmbito da Operação Ajuste Secreto, por ilegalidades cometidas em concursos públicos e ajustes diretos de obras municipais em Oliveira de Azeméis, segundo a decisão instrutória do juízo criminal de Santa Maria da Feira, a que o CM teve acesso.

Ao todo, o antigo secretário de Estado de Durão Barros foi pronunciado por 77 dos 142 crimes de que estava acusado pelo Ministério Público: 13 crimes de corrupção passiva, mais um do que estava acusado, 5 de corrupção, 3 de participação económica em negócio, 7 de peculato, 11 de falsificação de documentos, 7 de abuso de poder, 27 de prevaricação, 3 de tráfico de influência e um crime por detenção de arma proibida. Caíram os quatro crimes de violação de segredo de que Loureiro estava acusado. A juíza de instrução criminal Ana Cláudia Nogueira decidiu ainda não pronunciar o ex-autarca pelos restantes crimes que lhe eram imputados: 27 de peculato, 28 de falsificação de documentos e 5 de prevaricação. A magistrada manteve a caução de 60 mil euros já paga, assim como o arresto preventivo dos bens. Além de Loureiro, outros 64 arguidos vão a julgamento. A investigação do caso Ajuste Secreto culminou em junho de 2017 com a detenção de 7 pessoas, incluindo o então ‘vice’ da FPF, que viria a suspender o mandato naquele organismo.
Ver comentários