Joana Marques Vidal diz que mandato de PGR devia ser único mas mais longo

Marques Vidal cessou esta sexta-feira funções de procuradora-geral da República.
Por Lusa|12.10.18
  • partilhe
  • 0
  • +
Joana Marques Vidal, que cessou esta sexta-feira funções de procuradora-geral da República, afirmou que a Constituição prevê a possibilidade de renovação do mandato, mas pessoalmente entende que este devia ser único, embora mais longo.

Na entrevista à SIC e Expresso, Joana Marques Vidal confessou ter feito o "máximo que conseguia fazer" no cargo e revelou ter sabido que "não iria haver renovação" do mandato duas horas antes de ter sido anunciado o nome de Lucília Gago para lhe suceder à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O nome da sua sucessora foi-lhe comunicado pela ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, uma hora antes do anúncio oficial que a escolha recaía em Lucília Gago, precisou.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!