Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Joana Marques Vidal alerta que faltam magistrados no Ministério Público

Procuradora-Geral da República despede-se para dar o lugar a Lucília Gago.
João Saramago 12 de Outubro de 2018 às 01:30
Albano Morais Pinto
Lucília Gago e Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Albano Morais Pinto
Lucília Gago e Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Albano Morais Pinto
Lucília Gago e Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Joana Marques Vidal
Lucília Gago assume esta sexta-feira, no Palácio de Belém, em Lisboa, as funções de procuradora-geral da República. A magistrada herda casos mediáticos de elevada complexidade como o Universo Espírito Santo ou a Operação Marquês. No arranque de funções, Lucília Gago (62 anos) terá também de gerir a falta de magistrados.

Esta quinta-feira, no seu último ato oficial, a procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, alertou para a carência de quadros no Ministério Público. Na cerimónia em que deu posse ao procurador-geral-adjunto, Albano Morais Pinto, para funções no Supremo Tribunal de Justiça, Joana Marques Vidal alertou para a "carência que existe no Supremo Tribunal de quadros do Ministério Público".

Ainda em fase de inquérito no Ministério Público estão os casos dos roubo de armas de Tancos e de armas da PSP, as rendas da EDP, o processo BES e a operação Lex.

Os magistrados que passam agora a ser liderados por Lucília Gago têm também em mãos os casos relativos às parcerias público-privadas, aos negócios da TAP, à extradição de Vale e Azevedo de Inglaterra (Portugal já emitiu mandado de detenção europeu), o processo E-Toupeira, que envolve o Benfica por suspeitas de corrupção, e a alegada fraude na reconstrução de casas destruídas pelos fogos em Pedrógão Grande.

"A minha vocação é a área do crime" 
Albano Morais Pinto, 63 anos, procurador-geral-adjunto no Supremo Tribunal, acumula funções até dezembro como a de auditor jurídico nos ministérios da Defesa e Administração Interna. Na tomada de posse, disse: "A minha vocação é a área do crime."

SAIBA MAIS
1592
magistrados do Ministério Público em funções em setembro último. Uma queda de 2 % face aos 1626 profissionais em funções em setembro de 2017.

Mulheres em maioria
As mulheres lideram na magistratura. De um total de 1592 magistrados e 53 estagiários, as mulheres são 1019.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)