Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Montenegro quer eleições diretas no PSD: "Rio é bengala de Costa"

"Se nada for feito o partido pode ter uma derrota humilhante", acrescentou o ex-líder parlamentar.
11 de Janeiro de 2019 às 16:09
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
Luís Montenegro
"Estou disponível para me candidatar à liderança do PSD. Para ser o adversário que Costa não teve". Foi deste modo que Montenegro pediu a Rio para "mostrar coragem" e avançar já para eleições internas no partido. "Desafio o dr. Rui Rio a marcar eleições e a apresentar a sua candidatura", acrescentou.

"Se tem mesmo Portugal à frente de tudo, mostre coragem e não hesite em marcar estas eleições internas, não tenha medo do confronto, não se justifique atras de questões formais, o tempo é de confronto político", afirmou o antigo deputado. 

Luís Montenegro acusou ainda Rui Rio de ter "prometido unir o PSD" e de ter falhado, referindo ainda que o líder do partido "foi instigador do confronto interno". Para o ex-líder parlamentar, a estratégia de Rio "pôs o PSD como bengala do PS". 

Montenegro criticou o atual líder do partido na sua "condescendência" ao Governo: "Não há uma crítica de Rui Rio a Costa. Ha complacência e condescendência. Esta estratégia colocou o PSD como muleta do PS e Rio como bengala de Costa."

O "PSD resignou-se e deitou a toalha ao chão com esta liderança", acrescentou Montenegro que disse ter agora a responsabilidade de "sair da sua zona de conforto". O partido, nas palavras do ex-deputado, "corre o risco de ter uma derrota humilhante" se nada for feito.

O anúncio da disponibilidade para fazer frente a Rio foi feito esta sexta-feira às 16h00, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Estas movimentações surgem depois de no período de pausa natalícia vários parlamentares e várias distritais terem avaliado o descontentamento com a atual liderança social-democrata.

Esta quarta-feira, numa resposta à ex-líder do PSD Manuela Ferreira Leite, que afirmou preferir um "pior resultado eleitoral" do que um partido rotulado de direita, Montenegro abriu ligeiramente o jogo. "Estas coisas têm que acabar", afirmou em declarações à TSF

Já hoje, a vice-presidente do PSD Isabel Meirelles acusou Luís Montenegro de tentar fazer um "golpe de Estado" que prejudica o partido e o país, e assegurou que a direção tenciona fazer cumprir "à risca" os estatutos sociais-democratas.

Após a declaração de Montenegro, Isabel Meirelles disse que o ex-deputado "não expressou uma única ideia". "Fiquei supreendida pelo tom politiqueiro que quem só diz mal", referiu a vice-presidente do partido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)