Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Oposição interna do CDS-PP cerca Francisco Rodrigues dos Santos

Nuno Melo oficializou este sábado a candidatura. Presidente do partido acusa críticos de “meter veneno”.
Andresa Pereira 10 de Outubro de 2021 às 09:35
Nuno Melo oficializou no Porto a sua candidatura à liderança do CDS-PP
Nuno Melo oficializou no Porto a sua candidatura à liderança do CDS-PP FOTO: manuel fernando araújo/lusa
A menos de dois meses do Congresso do CDS-PP e da escolha do líder do partido, a oposição interna aperta o cerco ao atual presidente, Francisco Rodrigues dos Santos (‘Chicão’). Uma das vozes mais críticas, o eurodeputado Nuno Melo, apresentou este sábado a sua candidatura à liderança e lançou várias farpas à atual direção centrista.

“O CDS tem de voltar a ser um espaço para onde se quer ir, ficar e de onde não se quer sair, o rigoroso oposto do que tem sucedido nos últimos tempos”, disse Nuno Melo. Num discurso de cerca de uma hora, e aplaudido por centenas de apoiantes, o eurodeputado criticou a atual direção “pela forma como a democraticidade interna do partido está a ser torturada”. “Qualquer disputa para um congresso implica lealdade e igualdade de armas”, rematou.

Na última semana, o atual presidente do CDS anunciou a sua recandidatura e a antecipação do Congresso, algo que não caiu bem na oposição interna. Já na última quarta-feira, Francisco Rodrigues dos Santos reuniu a sua Comissão Executiva, e o CM teve acesso a algumas declarações do atual presidente e de vice-presidentes que não foram bem vistas pelos críticos de ‘Chicão’. Questionado pelo CM, Francisco Rodrigues dos Santos explicou que “as frases foram deturpadas” pela oposição interna e acusou os críticos de “só quererem meter veneno”.

A direção do CDS-PP quer que o Congresso se realize a 27 e 28 de novembro.

pormenores
Antecipação do Congresso 
Ao CM, Francisco Rodrigues dos Santos disse que decidiu “antecipar o Congresso no sentido de conseguir mais tempo para preparar o partido para as eleições legislativas de 2023”.

“Que se lixe o congresso”
Quanto à frase dita em campanha “que se lixe o Congresso”, ‘Chicão’ explicou que “era altura de focar nas autárquicas”. “Agora que acabaram os ciclos eleitorais, temos de focar no partido.”
Ver comentários