Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão

Não estava ninguém na habitação quando desabamento destruiu completamente a cozinha.
Tiago Griff 16 de Maio de 2019 às 08:22
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Avó e neto sem casa após queda de teto em Olhão
Pouco passava da meia noite desta quarta-feira quando o inesperado aconteceu: o tecto da cozinha de uma casa na rua Manuel Machado, na cidade de Olhão, desabou e destruiu por completo aquela divisão da habitação.

Por um mero acaso, os únicos residentes, a avó e o neto, de 24 anos, escaparam a um destino mais dramático porque não estavam dentro da casa. As obras que estão a ser feitas no piso superior poderão estar na origem do desabamento.

"Eu estava no café - perto de casa - e o meu neto também não estava lá dentro", disse ao CM a residente Felícia Bonito, que por pouco escapou ao infortúnio. No entanto, o neto esteve perto de ser atingido pelo betão que destruiu por completo a cozinha e deixou a casa inabitável.

"Ele estava a entrar dentro de casa segundos antes de tudo acontecer. A minha cadela estava no interior e começou a ladrar quando o meu neto estava a meter a chave na porta e, assim que a abriu, começou a cair tudo", revelou a moradora.

Os estragos ficaram circunscritos apenas à cozinha, mas a Proteção Civil proibiu os residentes de regressarem à habitação enquanto as obras de arranjo - que começaram esta quarta-feira à tarde - não estiveram completas, uma vez que duvidam da estabilidade da estrutura.

"Arranjaram uma casa para ficarmos em Lagos, mas é muito longe e o meu neto tem de trabalhar. Dormi no carro esta noite, mas agora vou para casa da minha filha", admitiu ainda Felícia Bonito.
rua Manuel Machado Olhão Felícia Bonito Lagos Proteção Civil questões sociais acidentes e desastres
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)