Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Bombeiro salva prenda de menino desalojado em Lisboa

Sapador empenhado no combate ao fogo encontrou presente a pedido da mãe da criança.
Miguel Curado 26 de Dezembro de 2018 às 01:30
Hugo António, bombeiro, voltou à casa e recuperou a prenda
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Hugo António, bombeiro, voltou à casa e recuperou a prenda
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Hugo António, bombeiro, voltou à casa e recuperou a prenda
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Prédio onde ocorreu incêndio, na rua Leão de Oliveira, em Alcântara. As chamas terão tido origem num aquecedor
Hugo António foi um dos 22 bombeiros sapadores que, na noite de consoada, foram chamados a extinguir um incêndio num prédio da rua Leão de Oliveira, em Alcântara, Lisboa.

O fogo destruiu um dos apartamentos onde vivia uma família com uma criança. Quando a mãe recebia assistência na ambulância, o seu pensamento centrou-se na Natal do filho e resolveu fazer um pedido algo surpreendente a Hugo António: recuperar a prenda do filho que estava escondida em casa.

Comovido, o bombeiro acedeu. E, já na fase de rescaldo do sinistro, que deixou a família desalojada, conseguiu recuperar o presente.

"Dei por mim a fazer a consoada com aquela família", escreveu o bombeiro sapador na sua página de Facebook, descrevendo o sorriso da criança que abriu o presente na ambulância, ao colo do pai.

O incêndio deflagrou às 20h15 de segunda-feira, no 1º andar direito do nº 15 da rua Leão de Oliveira. Fonte do socorro disse ao CM que na origem das chamas terá estado um aquecedor. O fogo estendeu-se rapidamente a toda a casa e produziu muito fumo que se propagou às escadas do prédio.

No total, 16 moradores tiveram de receber tratamento nos hospitais de São Francisco Xavier e de São José. Quinze inalaram muito fumo e uma sofreu queimaduras.

Para hoje estão programadas duas vistorias no prédio: uma da Proteção Civil de Lisboa, para determinar se poderá haver mais desalojados e outra da LisboaGás, que cortou o abastecimento no rescaldo do incêndio e só hoje o poderá retomar, caso haja segurança.

Máquina a arder leva idosa ao hospital
Uma mulher de 80 anos teve esta terça-feira de ser hospitalizada devido à inalação de fumos, depois de um incêndio ter destruído uma máquina de lavar na casa em que reside, no Bairro Alto, Lisboa. Foi hospitalizada.
Ver comentários