Dez anos de prisão para Mário Machado

O Tribunal Criminal de Loures fixou esta quarta-feira em 10 anos o cúmulo jurídico das penas de prisão aplicadas a Mário Machado, antigo dirigente da Frente Nacional e líder dos Hammerskins Portugal, movimento conotado com a extrema-direita.
19.12.12
  • partilhe
  • 0
  • +
Dez anos de prisão para Mário Machado
Mário Machado foi condenado a dez anos de prisão em cúmulo jurídico Foto Diogo Pinto

O cúmulo jurídico foi fixado com base numa soma parcelar de 19 anos e meio, pelas condenações em quatro processos, o último dos quais julgado pelo Tribunal Criminal de Loures, em 2010.

Em meados de Agosto desse ano, o tribunal de Loures condenou Mário Machado a sete anos e dois meses de prisão efectiva por roubo, sequestro, coacção e posse ilegal de arma.

Em Março de 2011, o Tribunal da Relação de Lisboa decidiu absolver Mário Machado pela prática de dois crimes de coacção, pelo que a condenação foi reduzida em quatro meses, fixando a pena em seis anos e 10 meses.

Depois desta condenação, num processo em que Mário Machado foi julgado juntamente com outros sete arguidos, dos quais três foram absolvidos, foi pedida a revisão do cúmulo jurídico, fixado provisoriamente em quatro anos e 10 meses, em Janeiro de 2011, pela 4.ª Vara Criminal de Lisboa.

Para este cúmulo provisório foram consideradas as condenações de prisão efectiva em três processos: de discriminação racial, coacção agravada, detenção de arma ilegal, danos e ofensa à integridade física qualificada; de difamação, ameaça e coacção a uma procuradora da República; e de posse de arma de fogo.

Com a fixação de hoje do novo cúmulo jurídico, Mário Machado, que já cumpriu mais de metade dos 10 anos de prisão, vai pedir a liberdade condicional, logo que cesse o regime de prisão em alta segurança, em que se encontra no Estabelecimento Prisional de Monsanto, em Lisboa.

O advogado José Manuel Castro referiu à agência Lusa que "Mário Machado reúne todos os pressupostos para pedir a liberdade condicional, logo que cesse o regime de alta segurança, que deverá ser decidido até final deste ano".

Mário Machado foi condenado a quase cinco anos de prisão em Outubro de 2008, em processo relativo ao homicídio de Alcino Monteiro, cidadão português de origem cabo-verdiana, espancado até à morte, em 1995, no Bairro Alto, em Lisboa.


Em Fevereiro de 2010, o líder dos Hammerskins Portugal foi condenado a oito meses de prisão por difamação à procuradora Cândida Vilar, enquanto em Abril do mesmo ano o Tribunal de Estarreja julgou-o à revelia e aplicou-lhe uma pena de 48 fins-de-semana de prisão por desacatos numa estação de abastecimento de combustíveis.

Em Julho de 2011, a Mário Machado foi imposta a pena de 440 euros de multa por posse de arma proibida e, cerca de um mês depois, foi condenado a sete anos e dois meses de prisão, reduzida em quatro meses no recurso do Tribunal da Relação.  

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
5 Comentários
  • De Manuelzinho21.12.12
    AH AH AH deixem-me rir... pode nem ser grande pessoa, há bem pior, todos nós conhecemos, andam cá fora a roubar um Povo. Ao que chegaste Portugal!!!!!.
    Responder
     
     10
    !
  • De nuno19.12.12
    liberdade condicional? mas está tudo louco!? deviam era mete-lo fechado num buraco qualquer e jogar fora a chave.
    Responder
     
     13
    !
  • De miguel19.12.12
    liberdade condicional???? mas está tudo maluco!? deviam era mete-lo fechado num buraco qualquer e jogar fora a chave
    Responder
     
     8
    !
  • De Maria19.12.12
    Esta é boa!!! O "outro" roubou e deixou o País na banca rota e nada de prisão...e tanta gente a morrer de fome. País esquisito!
    Responder
     
     13
    !
  • De Joaquim Carreira Tapadinhas19.12.12
    Espero que os que cometeram o desastre BPN apanhem pelo menos 20 anos, pois são indirectamente responsáveis pela fome e mal-estar de milhares de crianças, jovens e velhos, provando-se assim que há justiça em Portugal.
    Responder
     
     40
    !