Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Discute com a mulher e deita fogo à casa

Vizinhos viram as chamas e alertaram os bombeiros, que deslocaram 20 operacionais. Caso ocorreu em Faro.
Tiago Lima 3 de Maio de 2019 às 08:34
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Chamas deflagraram quarta-feira à noite numa casa da urbanização de Gambelas, em Faro
Um homem de 56 anos foi detido pela GNR após ter confessado ser o autor do fogo que deflagrou na vivenda onde residia com a mulher e a filha menor.

A casa ficou inabitável e o caso surge num quadro de violência doméstica em que a mulher é vítima, conforme esta desabafou às autoridades e o companheiro, confrontado pelos militares, acabou por confirmar.

Tudo aconteceu pelas 23h00 de quarta-feira na urbanização de Gambelas, em Faro. Ouvido ontem em tribunal, o homem fica proibido de se aproximar da vítima a menos de 350 metros, com aplicação de dispositivo eletrónico para controlo.

Ao que se apurou, o incêndio terá sido provocado na sequência de uma discussão do casal. Com o deflagrar das chamas, os vizinhos chamaram os bombeiros, que solicitaram a presença da GNR.

Edgar Gonçalves, 2º Comandante dos Bombeiros Sapadores de Faro, explicou ao Correio da Manhã como decorreram as operações: "Quando chegámos, um dos quartos estava a ser consumido pelas chamas. Em 30 minutos o incêndio ficou dominado, mas como o fumo era muito intenso os bens ficaram destruídos, o que deixou a habitação inabitável."

No combate ao incêndio foram mobilizados os Bombeiros Sapadores de Faro e os Municipais de Olhão e Loulé, num total de vinte operacionais apoiados por cinco veículos.

A GNR acompanhou as operações, o caso transitou entretanto para a Polícia Judiciária.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)