Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Farmacêutica julgada em Coimbra

Por falhas que levaram à morte de trabalhadora.
23 de Fevereiro de 2016 às 08:23
O julgamento vai decorrer no Tribunal de Coimbra
O julgamento vai decorrer no Tribunal de Coimbra FOTO:  Ricardo Almeida/Correio da Manhã

Uma empresa farmacêutica, o seu administrador e ainda uma empresa de limpezas e o seu gerente começam esta terça-feira a ser julgados em Coimbra por violação de regras de segurança, que terão levado à morte de uma trabalhadora, em 2012.

As empresas e dos dois envolvidos são acusadas pelo Ministério Público (MP) de um crime de violação de regras de segurança, relacionado com a morte de uma trabalhadora de limpezas, a 21 de julho de 2012.

Segundo o despacho de acusação, a vítima, Nércia Silva, funcionária da empresa de limpezas, morreu na sequência de uma queda quando procedia à limpeza da parte superior de um portão da farmacêutica, a uma altura de 2,2 metros do solo, num cesto metálico "apoiado no garfo de um empilhador, sem fixador".

Aquando da movimentação do empilhador por um operador de armazém, funcionário da farmacêutica, a estrutura metálica "virou-se e caiu no chão", sofrendo a trabalhadora múltiplas lesões "traumáticas torácicas e abdominais", que foram a causa direta da sua morte.

O MP sublinha que o empilhador não era adequado "à elevação de pessoas, mas apenas de cargas estáticas", sendo que os arguidos não asseguraram que a trabalhadora prestava serviços de limpeza "em condições de segurança e fazendo uso de equipamentos adequados".

O acidente ocorreu num sábado, depois de a farmacêutica ter solicitado à empresa de limpezas a prestação "excecional" de serviços devido "à proximidade de uma auditoria", explana o MP. O julgamento começa esta terça-feira às 09h15, no Tribunal de Coimbra.

Coimbra Ministério Público Nércia Silva saúde
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)