Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Incêndio na Covilhã deixa bombeiro ferido. Mais de 300 operacionais combatem chamas

Durante o dia os operacionais contaram com a ajuda de 11 meios aéreos. 
Lusa e Correio da Manhã 30 de Julho de 2020 às 07:38
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
Incêndio na Covilhã
O fogo que lavra desde quarta-feira em Sobral de São Miguel, concelho da Covilhã, e que foi dominado pelas 07h30, voltou a estar ativo após três reacendimentos.

Cerca das 00h15 desta sexta-feira eram eram 370 os operacionais no teatro de operações, apoiados por 121 viaturas. Durante o dia os operacionais contaram com a ajuda de 11 meios aéreos. 

Um bombeiro ficou ferido no decorrer do incêndio, tendo sido hospitalizado. Há ainda a registar um outro operacional e um civil assistidos no local.

O incêndio está a lavrar numa zona de mato.

"Neste momento, a humidade relativa do ar subiu substancialmente, a temperatura baixou e o vento também amainou, a expectativa é de que seja controlado durante a noite e que, pela manhã, já esteja em resolução", apontou o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, à Agência Lusa já depois do cair da noite.

A acompanhar a evolução do combate no local, o autarca daquele concelho do distrito de Castelo Branco, adiantou ainda que a frente de fogo não está "tão ativa" como as que se verificaram na quarta-feira.

Dominado ao início da manhã desta quinta-feira
O incêndio tinha uma frente ativa no início da manhã, sem perigo para povoações, e durante a noite "evoluiu favoravelmente".

Francisco Peraboa indicava de manhã que a intenção era manter durante todo o dia no terreno os 500 operacionais e os 160 veículos para "trabalhos de consolidação" e vigilância, de forma a "evitar reacendimentos". 

Pelas 08h30 iniciaram-se os "trabalhos de consolidação e rescaldo", de acordo com o comandante distrital.

O comandante operacional afirmou que não há povoações em perigo e que os bombeiros, durante a noite, aproveitaram "a janela de oportunidade" e foram progredindo no terreno "conforme a meteorologia e a orografia foi permitindo".

Durante o dia de quarta-feira, o vento e a orografia do terreno - uma zona de serra com poucos acessos - dificultaram o combate às chamas, que deflagraram às 14:43, na freguesia de Sobral de São Miguel, uma das Aldeias do Xisto, e progrediu em direção à povoação anexa do Pereiro.

Covilhã Sobral de São Miguel Lusa acidentes e desastres incêndios ambiente natureza
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)