Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Fogo faz cinco feridos e arrasa fábrica em Viseu

Empresa tomada pelas chamas ficou totalmente destruída.
Tiago Virgílio Pereira 30 de Outubro de 2018 às 08:52
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Chamas destruíram por completo a fábrica de móveis de Póvoa da Medronhosa
Um violento incêndio deflagrou esta segunda-feira numa fábrica de móveis na Póvoa da Medronhosa, em Viseu. Cinco pessoas ficaram feridas devido à inalação de fumo e também por ansiedade.

O alerta foi dado pelas 13h00. Quando as chamas eclodiram nenhum dos seis funcionários estava dentro da fábrica. "Saímos todos para almoço e não sabemos o que terá provocado o incêndio. Fomos alertados e quando chegámos vimos a fábrica destruída. Dói muito", explicou ao CM o sócio-gerente Víctor Ferreira.

O mesmo cenário foi descrito pelos bombeiros. "A fábrica já estava quase toda tomada pelas chamas e a nossa preocupação foi evitar que o fogo alastrasse a uma habitação e a outra fábrica contígua", disse Rui Nogueira, segundo comandante dos Bombeiros Municipais de Viseu.

Durante toda a tarde os operacionais realizaram trabalhos de rescaldo, sobretudo em dois compartimentos que continham madeira prensada. Cinco pessoas ficaram feridas, entre elas o proprietário da fábrica – por ansiedade.

"Todas as vítimas civis acabaram por ir ao Hospital de Viseu. Duas por inalação de fumo e três com ansiedade e ataques de pânico", complementou Rui Nogueira.

A PSP tomou conta da ocorrência e contactou a Judiciária do Centro. Hoje os inspetores vão ao local recolher provas e ficarão com a investigação a cargo. Para já não se sabe o que terá provocado o incêndio.

Certo é que foi ouvida uma explosão e que dentro da fábrica, para além de madeiras, havia muitas latas de tinta, vernizes e diluentes altamente inflamáveis.

PORMENOR
Risco de desemprego
A fábrica de móveis José Soares de Sousa e Filhos, Lda labora naquela aldeia de Viseu há mais de 30 anos e nunca tinha registado um incêndio. A fábrica é familiar e dava emprego a seis funcionários, que por agora não vão conseguir trabalhar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)