Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Hidratação é a chave contra o calor intenso

Especialistas alertam para os perigos das ondas de calor.
Cláudia Machado 16 de Maio de 2015 às 10:44
As praias são palco de momentos em família durante o verão FOTO: Getty Images
Depois de um inverno rigoroso, as primeiras ondas de calor fazem crescer a vontade de um dia passado à beira-mar. Com o aproximar das férias do verão, são muitos os avós que aproveitam para passar momentos de lazer com os netos nos extensos areais portugueses. Mas toda a diversão deve ser acompanhada de uma boa dose de precaução. A desidratação é um risco a ter em conta, especialmente para a população mais envelhecida.

"Os idosos sofrem muito com o calor porque não bebem água. Acima dos 75 anos é muito frequente não sentirem sede, mas devem insistir na ingestão de líquidos", explica ao CM Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa dos Médicos de Clínica Geral.

Para tornar a experiência menos forçosa e mais agradável, é possível aliar hábitos culturais e alimentares à hidratação. "A ingestão de água pode ser facilitada, por exemplo, através do chá ou de infusões", refere o especialista em Clínica Geral. A sopa também é uma boa opção para contornar a desidratação e existem inúmeras formas de a tornar menos ‘invernosa’.

A partir dos 60 anos, a recomendação passa pela "ingestão de, pelo menos, um litro de água por dia", sublinha Rui Nogueira. A meta deve ser garantida de forma que as ondas de calor não ponham em risco a saúde dos idosos.

Para quem procura acompanhar os netos, a atividade física é aconselhada "apenas fora das horas de maior calor". Até porque "também as crianças se devem resguardar do sol intenso", acrescenta o médico de Clínica Geral, reforçando que "a água não pode ser esquecida".
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)