Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Militar da GNR Hugo Ernano alvo de processo disciplinar

Entrada no Chega acaba em ação disciplinar.
João Tavares 6 de Julho de 2019 às 10:24
Hugo Ernano à porta do Supremo, onde a sua pena de prisão foi suspensa
Hugo Ernano
Hugo Ernano
Hugo Ernano à porta do Supremo, onde a sua pena de prisão foi suspensa
Hugo Ernano
Hugo Ernano
Hugo Ernano à porta do Supremo, onde a sua pena de prisão foi suspensa
Hugo Ernano
Hugo Ernano
O militar da GNR Hugo Ernano está a ser alvo de um processo disciplinar por ter aceitado ser candidato independente, no Porto, às Legislativas, nas listas do partido Chega, de André Ventura.

Ernano, condenado em 2008 pela morte de um jovem de 13 anos levado pelo pai para um furto, em Loures, foi chamado quinta-feira ao Comando-Geral, onde lhe foi comunicada a ação disciplinar. Pode ser expulso da GNR.

Segundo uma fonte, a GNR avançou para a instauração do processo em que o Ministério da Administração Interna terá a decisão final. De modo a assumir funções políticas, Hugo Ernano pediu uma licença especial à GNR, tendo esta sido aceite, e discursou na convenção do Chega. Ainda assim, o processo parece avançar.

"Se isso for verdade, o partido vai apoiar o Hugo Ernano financeira e juridicamente no que ele precisar. Se for necessário faremos pressão junto do ministério para que estas perseguições não voltem", reagiu ao CM André Ventura.

"Neste País, parece que os polícias estão privados de direitos", concluiu. Já Hugo Ernano, contactado pelo CM, disse não estar autorizado a prestar declarações sobre o assunto.

PORMENORES
MAI e GNR não respondem
Contactados pelo CM, o Ministério da Administração Interna não quis pronunciar-se sobre o processo de Hugo Ernano, enquanto a GNR não respondeu.

Condenado por morte
Hugo Ernano foi condenado a 9 anos de prisão por ter matado a tiro um menor durante uma perseguição, após um assalto.

Apartidários
O estatuto dos militares da GNR proíbe que os mesmos tenham vínculos partidários. Para se candidatarem têm de ser independentes e estar autorizados.
Ver comentários