Homem que agrediu companheira grávida sai em liberdade com pulseira eletrónica

Pedro Luz, agente da PSP de folga, ia a passar por uma rua de Alverca quando assistiu ao brutal espancamento e ajudou a vítima.
Por Miguel Curado|06.12.18
O homem que foi apanhado a espancar a mulher, de 32 anos, grávida em fim de gestação, fica em liberdade, mas vai-lhe ser aplicada uma pulseira eletrónica para impedir que se aproxime da vítima.

A Procuradoria Geral Distrital de Lisboa explica em comunicado que "submetido a primeiro interrogatório judicial foram aplicadas ao arguido as medidas de coação de proibição de contactar por qualquer meio com a ofendida e a imposição de não permanecer na residência onde a ofendida habita – medidas estas fiscalizadas por meios técnicos de controlo à distância – e ainda de sujeição a tratamento das dependências de álcool e de substâncias estupefacientes de que padece, por ser verificar em concreto perigo de continuação da atividade criminosa".

A PGDL acrescenta ainda que "a fiscalização por meios técnicos de controlo à distância foi determinada com dispensa do consentimento da ofendida e do arguido, por se considerar que a utilização daqueles meios é imprescindível para a proteção dos direitos da ofendida". 

Pedro Luz, um agente do Corpo de Intervenção da PSP, de 34 anos, é o responsável pela detenção do homem de 28 anos, que fica proibido de voltar a casa e de contactar a vítima.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!