Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Arguidos do caso 'Cova da Beira' absolvidos

Os três arguidos do processo 'Cova da Beira', que envolve suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais na construção de um aterro em 1996, foram absolvidos esta sexta-feira pelo Tribunal Criminal de Lisboa.
1 de Março de 2013 às 14:54
O arguido António José Morais à saída do Campus da Justiça, no Parque das Nações
O arguido António José Morais à saída do Campus da Justiça, no Parque das Nações FOTO: Vítor Mota

Nas alegações finais, o Ministério Público pedira pena suspensa para o engenheiro António José Morais, a arquiteta Ana Simões e o empresário Horácio Luís de Carvalho, mas os juízes das varas criminais de Lisboa optaram pela absolvição.

Ana Simões e António José Morais estavam ambos acusados de um crime de corrupção passiva e um crime de branqueamento de capitais. Por seu turno, Horácio Luís de Carvalho estava acusado de um crime de corrupção ativa e outro de branqueamento de capitais.

Na fundamentação, a juíza do processo referiu que a decisão de absolver os três arguidos se prende pelo facto de não ter ficado provado que os dois primeiros (Ana Simões e António José Morais) tenham recebido dinheiro para dar uma posição favorável à empresa de Horácio Luís de Carvalho, a HLC. Ficou ainda provado que esta empresa apresentou a melhor proposta para a construção do aterro em 1996. A juíza referiu ainda, que ficou igualmente provado que decisão de escolher a HLC para o projeto foi da associação de municípios da Cova da Beira.

O julgamento teve início em setembro de 2012, depois de uma investigação sobre o fato de Horácio Luís de Carvalho ter ganho o concurso, no valor de 12,5 milhões de euros, para a construção do aterro, depois de a sua empresa ter sido excluída na fase inicial.

cova da beira aterro tribunal julgamento absolvição corrupção branqueamento de capitais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)