Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

INEM: greve às horas extra sem adesão

Garantia dada pelo presidente do instituto no Parlamento.
Cristina Serra 24 de Junho de 2015 às 14:50
Paulo Campos, Presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica
Paulo Campos, Presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica FOTO: CMTV

O presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Paulo Campos, assegurou esta quarta-feira à Comissão Parlamentar da Saúde que a adesão à greve às horas extra dos técnicos de emergência no instituto foi de "zero por cento".

"Em todo o país, houve apenas uma única ambulância que não saiu. Aconteceu em Almada e foi por motivo de doença", afirmou Paulo Campos aos deputados, numa audição requerida pelo Partido Socialista e na qual esteve presente "a maioria dos diretores" de departamento do INEM, numa manifestação de solidariedade para com o presidente da instituição.

Paulo Campos sublinhou que o "socorro às populações não está em risco" e deu o exemplo: "Houve um acréscimo de 200 eventos na cidade do Porto, devido aos festejos do Santo António e os técnicos de emergência estiveram a prestar assistência no terreno e em horas extra."

Opinião contrária manifestou Pedro Louro, do Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência (STAE), à saída da audição. "Há duas ambulâncias e uma moto paradas em Lisboa devido à greve às horas extra", afirmou Pedro Louro.

Os trabalhadores do INEM estão em greve às horas extra, em luta por melhores condições de trabalho e o pagamento de subsídios e pela aposentação antecipada, medidas que, asseguram, não estão contempladas na proposta de carreira do Governo, cujas negociações foram suspensas devido à greve.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)