Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Há 200 mil casos de Alzheimer em Portugal

Perda de memória e problemas de linguagem são alguns dos sintomas.
Elsa Custódio e Rogério Chambel 21 de Setembro de 2019 às 10:07
Alzheimer
Alzheimer
Alzheimer Portugal lança campanha para aumentar compreensão sobre a demência
Alzheimer
Alzheimer
Alzheimer
Alzheimer Portugal lança campanha para aumentar compreensão sobre a demência
Alzheimer
Alzheimer
Alzheimer
Alzheimer Portugal lança campanha para aumentar compreensão sobre a demência
Alzheimer
A doença de Alzheimer é um tipo de demência que provoca uma deterioração progressiva e irreversível de diversas funções cognitivas (memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento, entre outras). Em Portugal, estima-se que existam cerca de 200 mil casos de doentes de Alzheimer.

Numa fase inicial, os doentes revelam alguma incapacidade para se lembrarem de informações e acontecimentos recentes. O médico psiquiatra Pedro Varandas explica que nesta fase é comum " as pessoas sentirem que a sua memória já não é aquela que tinham".

À medida que a doença progride, os sintomas estendem-se a outras funções, nomeadamente a linguagem. Do ponto de vista comportamental, o Alzheimer tende a manifestar-se num de dois extremos, "quer numa extrema apatia, quer com episódios de grande agitação, normalmente vespertinos ou noturnos", explica Pedro Varandas.

Qualquer pessoa pode desenvolver a doença de Alzheimer. A mais comum acontece após os 65 anos. A taxa de prevalência da demência aumenta com a idade. A demência afeta uma em cada 80 mulheres, com idades entre os 65 e os 69 anos, sendo que no caso dos homens a proporção é de 1 em cada 60. Acima dos 85 anos, para ambos os sexos, a demência afeta aproximadamente uma em cada quatro pessoas.

Consoante as pessoas e as áreas cerebrais afetadas, os sintomas variam e a doença progride a um ritmo diferente. As capacidades da pessoa afetada podem variar de dia para dia ou mesmo no decurso do próprio dia. Uma pessoa com doença de Alzheimer pode viver entre três a 20 anos, sendo que a média estabelecida é de sete a dez anos.

DISCURSO DIRETO
Pedro Varandas, Casa da Saúde da Idanha

CM: Como é que se processa o Alzheimer?
Pedro Varandas - Há um processo de degeneração neuronal, que é o aspeto que determina a perda de um número de neurónios em regiões do cérebro fundamentais para a memória e para a linguagem.

- Como podemos ‘amenizar’ o progresso da doença? Que esperança podem ter os doentes?
- Para além da terapia farmacológica, têm sido desenvolvidas terapias neuropsicológicas de treino e exercitação da mente. Estas terapias, a par da terapia farmacológica, mas para além desta, permitem uma maior eficácia da estabilização e até uma recuperação de algumas competências.

PORMENORES
Diagnóstico
O diagnóstico é essencialmente clínico. O psiquiatra Pedro Varandas explica que é proposto à pessoa um conjunto de tarefas e, de acordo com a sua capacidade de resposta ou a completa incapacidade das mesmas, é possível estabelecer um diagnóstico de Alzheimer e até fazer a distinção com outras formas de demência.

Demência
A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência e representa entre 50% a 70% de todos os casos.
Alzheimer Portugal Pedro Varandas saúde doenças outras doenças questões sociais interesse humano pessoas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)