Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Médicos ameaçam sair dos hospitais públicos

Faltam profissionais para assegurar as escalas das Urgências noturnas na Área Metropolitana de Lisboa.
Sónia Trigueirão 31 de Março de 2019 às 01:30
Oftalmologista
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Oftalmologista
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Oftalmologista
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Médicos
Os médicos de Otorrinolaringologia e de Oftalmologia do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC), ao qual pertencem os hospitais de S. José, Santo António dos Capuchos , Santa Marta, D. Estefânia e Maternidade Alfredo da Costa, estão a ameaçar sair do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e deixar a Urgência Metropolitana de Lisboa (UML) sem estas especialidades e ir para o privado.

Em causa está o facto dos restantes hospitais da Área Metropolitana de Lisboa, que deviam contribuir com médicos para as escalas das Urgências noturnas não o fazerem e destas serem asseguradas pelos mesmos profissionais que se queixam da sobrecarga.

Ao que apurou o CM, como a maior parte do trabalho é concentrado nas Urgências, os doentes que vão pela via normal são obrigados a uma espera maior.

Fonte ligada ao processo explicou que a Urgência noturna de otorrino teve de ser concentrada apenas numa unidade, no Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN), ao qual pertence o Hospital de Santa Maria.

"Mesmo assim, e com a ajuda dos otorrinos do CHLC , continua a existir uma sobrecarga dos médicos", disse a mesma fonte, sublinhando que com a oftalmologia há o mesmo problema. "Este modelo não está a funcionar e prejudica os doentes", acrescenta.

Doentes do Algarve e Alentejo em risco
A Urgência Metropolitana de Lisboa (UML) presta assistência a doentes das regiões do Alentejo e do Algarve e ainda abrange o Ribatejo e uma parte de Leiria. Desde outubro de 2018 que os otorrinos se queixam de problemas com as escalas, e agora são os oftalmologistas.

Governo prepara nova organização
O CM sabe que o Governo está a preparar um diploma para resolver o problema da falta de médicos para assegurar as escalas das Urgências noturnas na Área Metropolitana de Lisboa. Fonte da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) adiantou que, no caso da oftalmologia, esta especialidade será concentrada apenas num hospital. O mesmo já foi feito para a de otorrino. Os médicos dizem que não funciona.

SAIBA MAIS
2013
ano em que foi criada a Urgência Metropolitana de Lisboa (UML). Fonte da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo admitiu que, "mais de cinco anos após a implementação, o atual panorama dos recursos humanos e a procura dos utentes obrigam a reflexão".

Urgência em dois polos
A UML funciona das 20h às 8 horas, todos os dias da semana. Concentra-se no Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central e Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)