Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Oposição quer realização de eleições adiadas nos bombeiros da Agualva, Sintra

Ricardo Santos, da lista concorrente ao ato eleitoral, diz que na origem do adiamento "está a consciência da atual direção de que pode perder as eleições".
14 de Dezembro de 2020 às 16:58
Bombeiros
Bombeiros FOTO: CMTV

As eleições para a direção da Associação Humanitária dos Bombeiros de Agualva, Sintra, que deviam ter ocorrido no sábado, foram adiadas para data a definir devido a um parecer da autoridade de saúde concelhia. O documento está a causar polémica entre as duas listas concorrentes.

De acordo com a decisão da presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Humanitária, Maria da Graça Rodrigues, datado de quinta-feira passada e a que o CM teve acesso, "existe um parecer desfavorável da delegada de saúde", que está na origem do adiamento das eleições.

Ricardo Santos, líder da lista concorrente ao ato eleitoral, em oposição ao atual presidente, Luís Miguel Batista, diz que na origem deste adiamento "está a consciência da atual direção de que pode perder as eleições". "A associação humanitária tem 13 mil sócios, mas é de estimar que apenas 200 pessoas aparecessem para votar. O salão nobre dos bombeiros tem condições suficientes para haver distanciamento. Além disso houve associações humanitárias de bombeiros do concelho que realizaram eleições recentemente", considerou Ricardo Santos.

Assim, o candidato diz que irá apresentar com muita urgência o pedido de uma assembleia geral extraordinária, "para que se expliquem aos sócios as verdadeiras razões do adiamento do ato eleitoral, e se discutam os problemas dos bombeiros".

Contactado pelo CM, Luís Miguel Batista disse "não querer prestar declarações para não alimentar polémica". 

Ver comentários