Psicóloga defende ‘cura’ para os gays

Maria José Vilaça realiza terapias para ‘reverter’ sexualidade.
Por Edgar Nascimento|12.01.19

O Conselho Jurisdicional da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) vai analisar o caso da psicóloga Maria José Vilaça, que associou na quinta-feira a homossexualidade a uma doença mental e a um surto psicótico.

Num programa televisivo, a psicóloga, que realiza terapias de conversão ou reorientação sexual, comparou a homossexualidade à bipolaridade. "Na fase maníaca, os homossexuais querem sair de casa, têm tudo e mais alguma coisa e são defensores do lobby gay. Na fase normal, ou mais depressiva, voltam para casa, querem ser heterossexuais, é esse o estilo que lhes convém", afirmou.

Miguel Ricou, presidente da Comissão de Ética da OPP, que também participou no programa, avisou que os psicólogos que defendem esta ideia estão a violar o código deontológico. "É algo errado do ponto de vista da psicologia, cometendo dois erros: que a homossexualidade é um distúrbio e que se pode curar através de um método qualquer, sem sustentabilidade científica".

As palavras da psicóloga –que já em 2016 tinha sido alvo de várias queixas ao afirmar que ter um filho gay é como ter um filho toxicodependente – mereceram a reprovação da associação ILGA Portugal, que anunciou que vai apresentar queixa contra a médica. O Correio da Manhã tentou contactar Maria José Vilaça, sem sucesso. com Susana P. Oliveira

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!