Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Vaticano abre arquivo secreto do Papa Pio XII

Papa foi alvo de tentativa de sequestro por parte de Hitler, que também quis invadir o Vaticano.
Secundino Cunha 5 de Março de 2019 às 01:30
Cardeal  Eugenio Pacelli foi eleito Papa em 1939 e o seu pontificado terminou em 1958
Imagem do papa Pio XII
Arcebispo Tolentino Mendonça
Cardeal  Eugenio Pacelli foi eleito Papa em 1939 e o seu pontificado terminou em 1958
Imagem do papa Pio XII
Arcebispo Tolentino Mendonça
Cardeal  Eugenio Pacelli foi eleito Papa em 1939 e o seu pontificado terminou em 1958
Imagem do papa Pio XII
Arcebispo Tolentino Mendonça
Daqui a um ano vai ser possível consultar os documentos, até agora secretos, do pontificado de Pio XII. Numa visita, esta segunda-feira, ao Arquivo Secreto do Vaticano, o Papa Francisco anunciou a abertura à consulta desses documentos no dia 2 de março de 2020, na celebração do octogésimo aniversário da eleição papal de Eugenio Pacelli.

Nas últimas quatro décadas, o Vaticano recebeu mais de cinco mil pedidos de consulta a estes documentos, sobretudo aos que correspondem ao período da II Guerra Mundial, de 1939 a 1945, por parte de historiadores das mais diversas partes do Mundo, mas todos foram indeferidos.

O Papa Pio II, que chegou a ser alvo de tentativa de sequestro por parte de Hitler, que, em 1942, pretendeu mesmo invadir o Vaticano (foi travado pelo aliado Mussolini), foi acusado de colaboracionismo com o regime nazi, algo que o Vaticano sempre negou, dizendo mesmo que Pacelli ajudou a salvar milhares de judeus.

"A Igreja não tem medo da História", afirmou o Papa Francisco, realçando que Pio XII "conduziu a Barca de Pedro num dos momentos mais tristes e sombrios do séc. XX". Eugénio Pacelli, ordenado bispo a 13 de maio de 1917, foi apelidado de ‘Papa de Fátima’, por ter, em 1942, consagrado o Mundo ao Imaculado Coração de Maria, como Lúcia lhe pedira.

Registo chefiado por arcebispo português
Oito meses depois de ter sido nomeado Arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e Bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana, o arcebispo português José Tolentino Mendonça fica encarregue de uma missão histórica para o mais famoso arquivo secreto do Mundo: abrir aos investigadores a documentação relativa ao pontificado de Pio XII e à sua relação com o poder nazi. Refira-se que este arquivo tem dois mil estudiosos acreditados.

PORMENORES
2000
é o número de investigadores acreditados no Arquivo Secreto do Vaticano. Terão preferência no acesso aos documentos do pontificado de Pio XII.

Papa de Fátima
Foi ordenado bispo no dia da primeira aparição na Cova da Iria, mas foi designado ‘Papa de Fátima’ quando, a 13 de outubro de 1942, consagrou o Mundo ao Coração Imaculado de Maria.

A caminho dos altares
Foi declarado "venerável" em 2009, por Bento XVI, o primeiro passo rumo à beatificação.

Amigo dos judeus
Após décadas de desconfiança, foi declarado, em 2012, amigo dos judeus e inscrito no memorial Yad Vashem de Jerusalém.
Ver comentários