Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
8

CMTV chega a Angola e Moçambique

Canal do Grupo Cofina estabelece parceria com a operadora de televisão por subscrição pioneira em África.
2 de Junho de 2014 às 10:31
Canal do Grupo Cofina estabelece parceria com a operadora de televisão por subscrição pioneira em África.

A CMTV, estação de televisão do Grupo Cofina, vai poder entrar nas casas de angolanos e moçambicanos a partir da próxima quinta-feira, dia 5 de junho. O canal com pouco mais de um ano de emissões em Portugal aliou-se à Multichoice, a operadora de televisão por subscrição pioneira em África.

“Este representa o primeiro passo na nossa internacionalização, como de resto tínhamos definido desde o início. Ficamos muito satisfeitos por podermos ser mais uma opção de escolha, diferenciadora e em português, para todos os que vivem nestes países irmãos”, explicou Octávio Ribeiro, diretor da CMTV.

O canal de televisão, exclusivo na plataforma MEO, tem conquistado a preferência dos espectadores portugueses, algo que é visível através da subida de audiências de forma sustentada desde o primeiro trimestre de 2013.

“O acordo com a CMTV representa um claro reforço da nossa oferta em língua portuguesa com um canal que, pelo tipo de conteúdo que tem – por exemplo com uma forte componente de desporto – vai certamente ser bem recebido pelos nossos espectadores em Angola e Moçambique”, salientou Nuno Santos, da Multichoice.

Paulo Fernandes, CEO da Cofina Media, também está satisfeito com esta nova parceria. "Revela a atenção e o reconhecimento da Multichoice ao carácter único dos conteúdos produzidos pela CMTV e à capacidade do grupo Cofina de, um ano após lançar um projeto inovador, dar mais uma passo na consolidação deste projecto”, afirmou.

A empresa africana lançou o seu primeiro serviço por satélite digital em 1980. Atualmente chega a mais de 50 países africanos e ilhas adjacentes no Oceano Índico. “Continuamos a trabalhar para ter cada vez mais e melhores conteúdos em língua portuguesa. Conteúdos locais como prioridade, mas também provenientes de Portugal e do Brasil”, acrescentou Nico Meyer, CEO da MultiChoice Africa.

Ver comentários