Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Da infertilidade à alteração de ADN: Especialistas desmistificam mitos das vacinas Covid

Vacina é inútil para maiores de 65 anos ou para quem esteve infetado são alguns dos mitos que proliferam entre a população mundial.
Por Correio da Manhã 8 de Fevereiro de 2021 às 12:15
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa FOTO: Getty Images
Desde que as primeiras vacinas Covid começaram a surgir, e eventualmente a serem aprovadas, que a ansiedade pela chegada da mesma se transformou em desconfiança. Desde a primeira vacina aprovada, da Pfizer, em dezembro, que muitas foram as questões que se levantaram.

É segura? Muda o ADN? As vacinas contêm microships? Estas foram algumas das questões que se levantaram nos últimos meses. Reunimos alguns dos mitos que proliferam na Internet e desmistificamos com a ajuda de especialistas e de acordo com a página da DGS.

Conheça alguns dos mitos e as explicações dos mesmos: 
A vacina causa infertilidade
Nas redes sociais crescem as fake news e os factos sobre as vacinas são tendencialmente deturpados nestes meios. Afinal, a vacina contra a Covid provoca infertilidade?

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

E se pudesse reiniciar o cérebro? Os conselhos de um neurologista

O cérebro humano está a ser gravemente manipulado pelos estímulos da tecnologia e as consequências refletem-se em comportamentos que nos deixam cada vez mais doentes. Em Limpeza Cerebral, o recém lançado livro do neurologista David Perlmutter e do médico internista Austin Perlmutter, reúnem-se técnicas para combater esta realidade.

Bem Estar e Nutrição

Cirurgia estética. Quais são os procedimentos mais pedidos?

Especialista em cirurgia plástica e medicina estética, Sofia Santareno fala sobre o impacto da sua "arte manual" na saúde mental, da mudança de paradigma nesta área, e de como este tipo de procedimentos deixaram de ser tabu.