Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

JOGADORES EM BAIXA

Foram 17 os jogadores que António Oliveira utilizou durante o Mundial. Apenas Ricardo, Nélson, Marco Caneira, Paulo Sousa, Hugo Viana e Pedro Barbosa não tiveram a oportunidade de se estrear no mais apetecido palco do Mundo.
15 de Junho de 2002 às 21:52
Vítor Baía: Não é um único culpado pela derrota frente aos Estados Unidos, mas mostrou algum nervosismo. Já frente à Polónia e à Coreia do Sul esteve a um melhor nível.


Beto: Tal como em Alvalade, foi adaptado a lateral-direito. Participou nos três jogos (dois a titular) e provou a sua utilidade. Foi expulso na partida com os coreanos


Frechaut: Causou surpresa a sua não inclusão no onze que defrontou os Estados Unidos. Com a Polónia assumiu a titularidade na faixa direita, mas uma lesão afastou-o do encontro e da equipa para o próximo jogo. Discreto.


Abel Xavier: Entrou apenas na segunda parte frente à Coreia do Sul.


Fernando Couto: Teve um mau início mas a sua raça prevaleceu nos restantes encontros. Frente à Coreia foi ponta-de-lança de recurso.


Jorge Costa: Esteve mal no encontro de estreia, mas, tal como Fernando Couto, voltou a seu nível nos jogos seguintes. Muito bem frente à Polónia.


Rui Jorge: O lateral esteve muito apagado. A forma evidenciada nestas três partidas deixa muito a desejar.


Petit: Mostrou muito pulmão. Tentou acorrer a todos os fogos e fez uma missão de sacrifício ao alinhar frente à Coreia do Sul.


Paulo Bento: Suplente no primeiro jogo, regressou ao onze ante a Polónia e trouxe tranquilidade ao meio-campo. Foi um dos melhores.


Sérgio Conceição: Mostrou a raça e empenho. Mas era dos jogadores de quem mais se esperava e acaba por ser dos que mais desiludiu.


Capucho: Alinhou escassos minutos frente à Polónia, mas os suficientes para mostrar que merecia mais oportunidades na equipa. Nesse jogo fez a assistência para o golo de Rui Costa e deu dinamismo ao flanco direito.


Figo: A maior desilusão da selecção nacional. Os problemas físicos impediram-no de realizar o Mundial que todos os portugueses esperavam. Sai do Mundial sem glória.


Rui Costa: Esteve no descalabro geral frente aos Estados Unidos, mas jogou numa posição que não era a sua. Suplente frente à Polónia, entrou para o lugar de João Pinto, fez um golo e deu outro a marcar. Foi impedido por Oliveira de dar continuidade ao seu bom momento ante a Coreia.


João Pinto: Titular nas três partidas, João Pinto estava a ser um dos melhores jogadores portugueses, mas um acto irreflectido frente à Coreia poderá fazer dele o mais penalizado, se for confirmada a suspensão por um ano.


Pauleta: Não se viu frente aos Estados Unidos, mas frente à a Polónia fez um "hat-trick" que deixou Portugal descansado na questão do goleador.


Nuno Gomes: Falhou um golo certo no jogo com a Coreia do Sul. E é tudo.


Jorge Andrade: Jogou vinte minutos frente à selecção da Coreia do Sul. Aproveitou esse tempo para anular alguns contra-ataques do adversário, mas no capítulo do passe errou mais (6) do que os que acertou (4).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)