Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Arte de Rafa abre porta do 37.º título do Benfica

Tabata marcou primeiro, mas Rafa (2), Seferovic (2) e Jonas confirmaram a vitória.
Mário Figueiredo 5 de Maio de 2019 às 09:46
Rafa chegou ao Benfica em 2016/17
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
Rafa chegou ao Benfica em 2016/17
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
Rafa chegou ao Benfica em 2016/17
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
Benfica - Portimonense
O Benfica goleou este sábado o Portimonense, por 5-1, mas o resultado não espelha as dificuldades da equipa encarnada, que chegou a estar a perder por 0-1. A fome de golos na primeira parte acabou por resultar num banquete rumo ao título de campeão nacional.

Os algarvios tiveram o mérito de lutar pela vitória desde o primeiro minuto. Não se encolheram nem se assustaram com o ambiente escaldante da Luz.

A história do jogo até podia ter sido mais simples, caso Seferovic, completamente isolado, não tivesse oferecido a bola ao guardião Ricardo Ferreira (9’).

O Portimonense desinibiu-se e Paulinho foi um quebra cabeças, numa equipa onde se destacava também Tabata. Odysseas teve de aplicar-se para evitar o pior para a sua baliza, com um punhado de intervenções decisivas com os pés.

Na etapa complementar, o atrevimento do Portimonense ganhou asas numa arrancada de Tabata, que, em velocidade, passou por Odysseas e fez o 1-0.

O Estádio da Luz gelou. Bruno Lage arriscou ao tirar Samaris e a fazer entrar Jonas. Só a vitória interessava. E é nesta fase que emergiu Rafa, que até tinha sido intermitente na primeira parte.

Cinco minutos foram suficientes para operar a reviravolta. Primeiro aproveitou um erro de Lucas para ganhar a bola e fazer um chapéu a Ricardo Ferreira (62’), depois a ganhar espaço na área e a rematar (66’) para o 2-1. Os algarvios esboçaram uma reação. Aproveitaram a saída de Samaris para explorar esses espaços. Lage percebeu e estancou com a entrada de Gedson.

A reviravolta foi um rude golpe nos algarvios. Baixaram de rendimento e o Benfica, impulsionado pelo público, acelerou. Apareceu então Seferovic que bisou (84’ e 88’). Já só dava Benfica, quando Jonas estabeleceu o resultado final (90+3’). Um triunfo que lança as águias rumo ao 37 (faltam dois jogos) e deixa o Sporting matematicamente de fora da luta pelo título.

ANÁLISE
Rafa imparável
O extremo do Benfica vive a sua melhor época de futebolista. Este sábado somou o 19º golo na temporada, bisando pela terceira vez (após D. Chaves e V. Setúbal). Na Liga tem 15 golos em 24 jogos.

Erro de Lucas
O Portimonense apareceu na Luz com a lição bem estudada. A coesão entre setores foi uma arma importante. No entanto, a falha de Lucas, no primeiro golo de Rafa, precipitou a derrocada da equipa.

Arbitragem sem casos
Artur Soares Dias teve uma arbitragem tranquila e sem casos num jogo bem disputado pelas duas equipas. Teve um critério largo nas faltas. Não deu amarelos. Bem ao mandar jogar num lance em que João Félix ficou a pedir penálti.

Rafa bisa e dá rumo ao... 37
o Odysseas – Duas grandes defesas com os pés evitaram golos. Boa saída dos postes. Nada podia fazer no golo.
o André Almeida – Melhor a atacar do que a defender. Duas assistências para os golos de Seferovic e Jonas.
o Jardel – Grande corte a um remate de Paulinho, mas passou por algumas dificuldades.
o Ferro – Seguro, eficaz e totalmente dentro das rotinas da equipa.
o Grimaldo – Ficou a marcar Tabata com os olhos. Melhorou e subiu de rendimento.
o Samaris – Deu maturidade ao miolo. Bom livre a obrigar Ricardo a grande defesa.
o Florentino – Nervoso. Muitas bolas perdidas e um atraso comprometedor para Odysseas. Melhorou.
o Pizzi – Foi o inconformado da equipa. Vários remates e uma assistência para golo.
o João Félix – Menos interventivo do que é habitual, mas com dois remates perigosos. Saiu exausto.
o Seferovic – Acabou com um jejum de três jogos. Marcou dois golos, mas tem um falhanço incrível aos 9’.
o Jonas – Estabeleceu o resultado final, após assistência de André Almeida. Marcou o golo 300 da sua carreira.
o Gedson – Trouxe consistência ao meio campo, numa altura que o Portimonense estava a reagir à desvantagem.
o Fejsa – Entrou para a ovação do público, que foi pedida por Bruno Lage.

Registo de Lage
O treinador do Benfica mantém um registo notável na Liga: 16 vitórias e 1 empate.

96 golos marcados
O Benfica chegou aos 96 golos na Liga. É o melhor registo desde a época 1971/73 (101).

Lágrimas de Almeida
André Almeida chegou às 11 assistências nesta época. No final do jogo chorou.

O que falta ao Benfica
Ao Benfica falta jogar com o Rio Ave (fora) e com o Santa Clara (em casa).
Ricardo Ferreira Seferovic Benfica Portimonense Bruno Lage Tabata João Félix Paulinho Setúbal Estádio da Luz
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)