Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Ex-chefe da ‘Juve Leo’ comanda agressores de Alcochete

Fernando Mendes ameaçou jogadores com ida à Academia e comandou comitiva de 38 adeptos.
Henrique Machado e Tânia Laranjo 25 de Maio de 2018 às 08:48
 Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Academia de Alcochete
 Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Academia de Alcochete
 Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Fernando Mendes, antigo líder da Juve Leo
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Suspeitos do ataque ao Sporting em Alcochete no Tribunal do Barreiro
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Adeptos de cara tapada invadiram Alcochete
Academia de Alcochete
Fernando Mendes, ex-chefe da Juventude Leonina e dos mais destacados elementos da principal claque do Sporting, com grande capacidade de mobilização, é considerado na investigação ao brutal ataque na academia como o principal dinamizador da invasão ao centro de estágio – que terminou com agressões a atletas e membros da equipa técnica.

Depois do desaire da equipa na Madeira, no último jogo do campeonato, já teria ameaçado William Carvalho no aeroporto: "Falamos em Alcochete." E aos atletas Battaglia e Acuña, disse ainda: "Falamos terça-feira."

Mendes não entrou no balneário, onde ocorreram as agressões – conforme atestam a câmara 22, de vigilância, e o testemunho de Jesus –, mas incorre na autoria moral e na instigação das mesmas. Chefiou a ‘comitiva’ de 38 adeptos que chegaram à academia, depois de se terem encontrado no estacionamento do Lidl do Montijo, na sequência da convocatória num grupo de WhatsApp, aplicação na internet para telemóveis, com o nome ‘Vamos a Alcochete’.

Quanto aos outros crimes – como associação terrorista, sequestro ou invasão de local vedado ao público –, incorre nas mesmas responsabilidades que os 23 presos preventivos, visto que alguns destes também não entraram no balneário. A diferença é que, após os crimes, tentaram fugir, de carro e a pé, sendo apanhados pela GNR.

No caso de Mendes, esperou que o fossem buscar à academia de carro – um BMW que entrou e saiu com autorização do Sporting, na presença da GNR – uma hora depois dos crimes. Está agora na mira da investigação.

"Fernando ajuda-me"  
"Fernando, ajuda-me, estão a bater nos jogadores", disse Jorge Jesus a Fernando Mendes depois da invasão ao balneário em que este não participou. E Mendes terá confessado que o objetivo não era aquele; a situação precipitou-se, descambou.

Despedir Inácio custa 450 mil euros 
Despedir Augusto Inácio, novo diretor-geral para o futebol do Sporting, custará 450 mil euros. O dirigente, que assinou contrato com o emblema leonino por cinco anos, ganha 7500 euros por mês, pelo que terá de ser indemnizado pelos 60 meses de contrato com o clube, apurou o Correio da Manhã.
Este cenário de despedimento coloca-se em cima da mesa se a direção de Bruno de Carvalho cair nas próximas semanas. 

Augusto Inácio é uma aposta do presidente dos leões para a próxima época. Regressa ao cargo que ocupou entre 2013 e 2015, retomando um projeto iniciado ao lado do líder dos leões. O antigo treinador do Sporting e campeão nacional em 1999/2000 foi um dos apoiantes de Bruno de Carvalho na sua primeira eleição, mas foi afastado do cargo de diretor- -geral com a chegada de Jorge Jesus, em 2015. 

Depois de uma época como responsável pelas relações externas do Sporting, saiu do clube em 2016.
CM tentou contactar Augusto Inácio, que não atendeu o telemóvel, nem respondeu à mensagem enviada. Também o Sporting não quis comentar os valores em causa no caso de despedimento do dirigente.

Diretor quer trabalhar com André Geraldes 
No momento em que anunciou Augusto Inácio como novo diretor-geral para o futebol, o Sporting garantiu que o dirigente não vem ocupar o lugar de André Geraldes.

"Quando o André Geraldes estiver livre destas situações, é um elemento com quem vou contar na minha estrutura", frisou Inácio, mostrando confiança no ex-team manager dos leões, que foi suspenso de funções por suspeitas de corrupção sobre árbitros e jogadores de andebol e futebol com o intuito de favorecer o Sporting. A juíza proibiu André Geraldes de frequentar as instalações do Sporting.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)