Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Risco de guerra na Ucrânia: UE prepara sanções para ‘asfixiar’ a Rússia

Pacote de sanções foi negociado em segredo e será finalizado este domingo, em Bruxelas.
Francisco J. Gonçalves 23 de Janeiro de 2022 às 10:38
Rússia tem 100 mil militares na fronteira com a Ucrânia e deslocou agora um vasto contingente para a Bielorrússia
Rússia tem 100 mil militares na fronteira com a Ucrânia e deslocou agora um vasto contingente para a Bielorrússia FOTO: Direitos Reservados/Lusa
A União Europeia negociou secretamente um pacote de sanções sem precedentes para punir a Rússia em caso de invasão da Ucrânia. Segundo fontes em Bruxelas, o pacote está pronto para entrar em vigor de forma quase imediata e visa ‘asfixiar’ a economia russa.

O plano deverá ser debatido amanhã, no maior secretismo, durante um almoço à porta fechada, em Bruxelas, entre os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE. O encontro é presidido pelo responsável da diplomacia europeia, Josep Borrell. Segundo o ‘El País’, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, participará nos debates por videoconferência, indicação clara de que o plano integra um esforço concertado para punir uma eventual agressão militar russa.

Está prevista a suspensão de toda a cooperação económica com a Rússia e um corte drástico nas trocas comerciais, prevendo-se, nomeadamente, a suspensão da importação de gás e petróleo da Rússia. O plano prevê medidas de contingência para minorar o impacto negativo nas economias europeias.

Após encontros infrutíferos nas últimas semanas entre responsáveis dos EUA, da NATO e da Rússia, a tensão na Ucrânia mantém-se inalterada, sendo real o risco de uma guerra.

pormenores
Apoio militar dos EUA
Chegaram este sábado a Kiev mais de 90 toneladas de material militar, parte do primeiro carregamento de um pacote de ajuda recentemente aprovado pelos EUA.

Novas negociações
Conselheiros políticos da Rússia, Ucrânia, França e Alemanha vão manter reuniões na terça-feira em Paris.

Comentário incómodo
O comandante da Armada alemã, Kay-Achim Schoenbach, pediu desculpa depois de vir a público um vídeo no qual elogia Putin e diz que a Ucrânia não irá recuperar a Crimeia.
Ver comentários
}